Justiça diz que é falso vídeo com urna que autocompleta número de Haddad

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) afirmou que é falso o vídeo que circula na internet em que um eleitor aparentemente aperta a tecla "um" e a urna é preenchida automaticamente com o número 13, do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad.

O vídeo foi publicado nas redes sociais do candidato ao Senado pelo PSL Flávio Bolsonaro, filho do candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Os vídeos não mostram o teclado da urna, onde uma pessoa digita o restante do voto. Não existe a possibilidade de a urna autocompletar o voto do eleitor, e isso pode ser comprovado pela auditoria de votação paralela”, afirmou o TRE-MG.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que já está ciente do caso e que o Ministério Público e a Polícia Federal foram acionados para verificar a urna.

Fazer imagens fora da cabine de votação não é proibido, mas filmar ou fotografar a urna durante o voto é proibido pela legislação eleitoral. A medida tem o objetivo de proteger o sigilo do voto e evitar que o eleitor tire foto para comprovar seu voto em determinado candidato.

O candidato a deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), também filho do militar, publicou neste domingo (7) em suas redes sociais mensagens pedindo que os eleitores filmem e façam transmissão em tempo real caso encontrem problemas com as urnas.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!