Sinal amarelo – SE

Candidatos de Sergipe que se enquadram em pelo menos uma das situações abaixo:
- Foram barrados pela ficha limpa;
- São réus em ações penais;
- Foram acusados de integrarem o esquema dos sanguessugas;
- Tiveram parecer pela cassação nos conselhos de Ética da Câmara ou do Senado;
- Foram presos em operações das polícias Civil ou Federal


1- Heleno Silva (PRB) - candidato a deputado federal como Pastor Heleno. Foi um dos deputados denunciados pela CPI dos Sanguessugas. Responde ao processo 15233-58.2008.4.01.3600 na Justiça Federal de Mato Grosso pelos crimes de quadrilha ou bando, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
"O empresário Luiz Antônio Vedoin, um dos donos da Planam, disse que pagou R$ 50 mil a Heleno Silva antecipadamente em troca da aprovação de uma emenda de R$ 945 mil. Mas o valor liberado foi de apenas R$ 96 mil, segundo ele. Em sua defesa entregue à Câmara, o então deputado afirmou que a acusação deveria ser arquivada por inépcia ou falta de provas. Heleno Silva disse que sua defesa na CPI dos Sanguessugas foi cerceada porque o caso não passou antes pela Corregedoria da Casa. Sobre o conteúdo das acusações, Heleno Silva disse que Vedoin era “mentiroso”. Segundo ele, a Planam venceu a licitação citada porque ofereceu o menor preço, conforme parecer do Ministério da Saúde.
Em entrevista ao Congresso em Foco na quarta-feira (22), Heleno Silva diz que as acusações não são concretas e se baseiam apenas em palavras de Luiz Antônio Vedoin. “Só a palavra deles, mas a palavra deles não tem credibilidade, porque o Brasil todo sabe o que eles quiseram fazer. Quiseram até vender dossiê contra o pessoal de São Paulo”, diz o candidato.
Heleno reconhece que a máfia das ambulâncias existiu e que alguns deputados participaram, sim, mas diz que esse não é o seu caso. “Há aqueles que verdadeiramente tiveram envolvimento e aqueles que puramente foram citados, por ter um contato, por simplesmente ter um conhecimento.” Heleno afirma que o próprio conteúdo das denúncias mostra que há diferenças entre as acusações. “O povo sabe separar alhos de bugalhos”, diz. Ele diz que deixou de ser candidato em 2006 para provar à sociedade de Sergipe que nada tinha a ver com as denúncias. Agora, quer ser julgado pela população. “Eu acho que eu me devo uma nova chance. Abri mão de concorrer ao mandato passado. Vou ter o julgamento das urnas, que é o mais importante que existe.”
Ouça a íntegra das declarações de Heleno:





2- Jackson Barreto (PMDB-SE) – candidato a vice-governador – réu nas Ações Penais  357 (Peculato. Data de autuação: 13/11/2003); 372 (Crime contra a administração em geral. Data de autuação: 19/05/2004); 377 (Peculato (c/ parecer da PGR pela extinção da punibilidade). Data de autuação: 09/08/2004; 488 (Peculato. Data de autuação: 23/05/2008), e 431 (Peculato. Data de autuação: 22/06/2007)


3- José Renato Vieira Brandão (Renatinho - PMDB)- candidato a deputado estadual - barrado com base na Lei da Ficha Limpa


4- Rubens Oliveira Bastos (Rubens Exator - PTdoB)- candidato a deputado estadual - barrado com base na Lei da Ficha Limpa


Veja ainda:

Outros estados

Ajude a limpar a política

Participe do Prêmio Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!