Pressionado, Alckmin muda comando das mídias sociais de sua campanha

A performance abaixo do esperado do candidato a presidente Geraldo Alckmin (PSDB) nas primeiras pesquisas após o início da campanha eleitoral provocou a primeira baixa em sua equipe. Segundo O Estado de S.Paulo, o publicitário Marcelo Vitorino foi retirado do cargo nessa quinta-feira (23) porque tucanos e aliados avaliaram que a campanha ainda não encontrou uma narrativa nas redes sociais para “desconstruir” o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, e alavancar Alckmin.

Líder nas pesquisas em que o ex-presidente Lula é excluído, Bolsonaro tem espaço consolidado na arena das redes sociais. Só no Facebook são mais de 5,5 milhões de seguidores. O ex-presidente tem 3,7 milhões e Alckmin, 912 mil. Além da insatisfação com o tom da atuação nas redes sociais, também pesou no afastamento de Vitorino o seu desentendimento com integrantes da equipe do marqueteiro Lula Guimarães, de acordo com o jornal.

Alckmin é pressionado por aliados a mirar Bolsonaro com mais firmeza, expondo suas fragilidades e contradições. Para os estrategistas do tucano, sua presença nas redes sociais é tímida e burocrática, informa a reportagem. O candidato do PSL, que está na frente do ex-governador paulista em São Paulo, tem vinculado Alckmin à Lava Jato.

Datafolha: Lula lidera com 39%. Sem ele, Bolsonaro está na frente com 22%

Bolsonaro lidera em rejeição e só ganharia segundo turno de Haddad, diz Datafolha

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!