Prefeita de Rio Branco é derrotada e Tião Bocalom, do PP, vence a disputa

Tião Bocalom (PP) venceu a disputa para a prefeitura de Rio Branco (AC) neste domingo (29). Com 100% das urnas apuradas, ele obteve 62,93% dos votos válidos e derrotou a atual prefeita, Socorro Neri (PSB), que teve 37,07% dos votos válidos. A diferença de votos entre os dois foi de mais de 43 mil votos.

Neri era apoiada pelo governador do estado, Gladson Cameli (PP), que deixou de apoiar o postulante da própria sigla. Já Bocalom recebeu apoio de dois senadores da bancada do Acre – Mailza Gomes (PP) e Sérgio Petecão (PSD). O presidente Jair Bolsonaro também manifestou apoio a ele na reta final da campanha.

Em vídeo divulgado no Twitter do senador Márcio Bittar (MDB-AC) na última quarta (25), Bolsonaro diz: “Olá, prezado Bocalom. Tô com o Bittar do meu lado aí. Nesse segundo turno, tamo junto aí, boa sorte”.

Bocalom, que iniciou a disputa atrás nas pesquisas de intenção de voto, quase foi eleito em primeiro turno. Ele obteve 49,58% dos votos válidos, ante 22,68% da candidata à reeleição. Bocalom disputou a capital outras duas vezes e tinha concorrido três vezes, sem sucesso, à vaga de governador do Acre. A vice-prefeita será a ex-deputada federal Marfisa Galvão (PSD).

Perfil do eleito

Tião Bocalom tem 67 anos e é professor de matemática. Ele começou sua carreira política como vereador em Nova Olímpia (PR), na década de 1980. Anos depois, foi eleito o primeiro prefeito de Acrelândia, ocupando o cargo por mais duas vezes.

Ele já havia passado por quatro siglas antes de se filiar ao Progressistas, em 2020 – PDS, PSDB, DEM e PSL. Após decidir apoiar a candidatura de Bolsonaro para presidente, filiou-se ao PSL para disputar as eleições de 2018, como candidato a deputado federal, mas não foi eleito.

Antes de romper com Cameli, Bocalom chegou a assumir a Empresa de Assistência Técnica Extrativista Rural do Acre (Emater), onde ficou por nove meses.

Continuar lendo