PDT descarta apoio a Eduardo Paes e discute posição sobre Manuela

O PDT decidiu que vai adotar a neutralidade na eleição de segundo turno do Rio de Janeiro (RJ). Embora muitos partidos de esquerda e centro-esquerda tenham a tendência de apoiar Eduardo Paes (DEM) para que Marcelo Crivella (Republicanos) não seja reeleito, o PDT não vai endossar a candidatura do político do DEM. Durante os debates de primeiro turno, Paes e Martha Rocha (PDT) protagonizaram diversos embates.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

>Boulos tem o apoio do PDT de Ciro e busca o PSB de Márcio França

Em Porto Alegre (RS), a posição ainda não está definida. A candidata do partido, Juliana Brizola (PDT), teve atritos com Manuela D'ávila (PCdoB) na campanha de primeiro turno. Juliana também tem mais proximidade com o concorrente de Manuela no segundo turno, Sebastião Melo (MDB), de quem foi candidata a vice em 2016.

Apesar disso, Ciro Gomes (PDT) tem afinidade com Manuela D'ávila. O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, descartou que Ciro e o partido tomem posições diferentes. "Caminharemos unidos, vamos juntos todos do PDT", disse ao Congresso em Foco. A legenda vai decidir a posição na capital gaúcha até esta quarta-feira (18).

O partido não descarta nenhuma das três opções (neutralidade, Manuela ou Melo). O presidente do PDT de Porto Alegre, deputado federal Pompeo de Matos, vai reunir nesta terça os membros do partido. Carlos Lupi avalia se viaja para a capital gaúcha para participar das discussões.

> Confira as últimas notícias sobre as Eleições Municipais 2020

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!