MP pede inelegibilidade do filho de Garotinho, candidato em Campos dos Goytacazes

O Ministério Público do Rio de Janeiro apresentou nesta sexta-feira (27) uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral contra Wladimir Garotinho, que disputa o segundo turno em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

> Ao menos 12 cidades têm empate técnico em pesquisas para o segundo turno

Segundo o MP, Garotinho publicou em seu Facebook - e pagou pelo impulsionamento da publicação - um texto em que associa seu adversário a problemas da atual administração municipal. Isso, segundo o MP, não procede.

"Assim, resta claro que referida publicação teve como objetivo atingir a imagem do seu concorrente de 2º turno, o candidato Caio Viana, através da divulgação de informações falsas, que vinculavam o atual Prefeito Rafael Diniz ao candidato Caio Vianna, dizendo que os dois estariam fazendo 'ameaças aos funcionários', numa clara tentativa de enganar os eleitores", diz a inicial apresentada pelo Ministério Público.

Na ação assinada pelo promotor eleitoral José Luiz Pimentel Batista, afirma-se que Garotinho utilizou recursos de campanha "para fazer impulsionamento ilícito, em sua própria página pessoal do Facebook,  na época alcançando um número aproximado de 100.000 leitores, por nada mais, nada menos, que 50 impulsionamentos feitos por ele mesmo, números esses que, por si só, já são suficientes para afetar a lisura do processo democrático".

Por esses motivos, o MPE pede que seja declarada a inelegibilidade de Wladimir Garotinho e Frederico Paes, seu vice, pelo período de oito anos.

Wladimir Garotinho refuta as acusações e diz que há uma tentativa de criminalizar o debate eleitoral, bem como a livre manifestação de internautas na rede social.

Leia nota de Wladimir Garotinho na íntegra

A coligação Um Governo de Verdade refuta a tentativa de vincular o candidato Wladimir Garotinho com campanhas de Fakes News. Verifica-se em Campos uma tentativa de criminalizar o debate eleitoral, bem como a livre manifestação de internautas na rede social.

Wladimir Garotinho recebeu mais de 106 mil votos no primeiro turno e lidera as pesquisas de intenção de votos no 2º turno. Portanto, todos os seus eleitores e admiradores são livres para expressar suas opiniões, bem como compartilhar conteúdos em suas respectivas plataformas virtuais. Foi o compartilhamento de um post que afirma que Rafael Diniz apoia o Candidato Caio Vianna, dito pelo Vereador José Carlos que foi considerado fake news, o que toda cidade sabe que não é.

O Brasil vive sob uma democracia, amparada pela Constituição Federal, que assegura o direito de livre manifestação do pensamento e veda a censura.

O que o adversário postula com essas medidas, pouco antes de um debate que será transmitido pela TV, é criar agendas negativas para desequilibrar o pleito, só que a vontade popular é soberana e mais uma vez triunfará nas urnas no domingo.

> Crivella é condenado por fake news sobre pedofilia nas escolas

Continuar lendo