Lula e Bolsonaro perdem para Moro em ranking de confiança

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, aparece na primeira colocação em um ranking de confiança divulgado neste domingo (5) pelo Datafolha. O ministro é considerado de alta confiança por 33% dos entrevistados, de média por 23% e de baixa por 42%.

> Morde e assopra: os altos e baixos da relação Moro-Bolsonaro

> STF decide contra prisão em segunda instância e abre caminho para soltura de Lula

O levantamento pediu para que fossem dadas notas de 1 a 10 para personalidades políticas. Até 5 o índice de confiança é considerado baixo, de 6 a 8, médio, e 9 e 10, alto. A pesquisa não mede potencial eleitoral dos políticos citados.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e a pesquisa tem 95% de confiabilidade.  Foram ouvidas 2948 pessoas distribuídas em 176 cidades nos dias 5 e 6 de dezembro.

Em segundo lugar aparece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado por  corrupção passiva e lavagem de dinheiro quando Moro era juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Lula empata dentro da margem de erro com Moro em alta confiança, com 30%, mas é pior nas outras categorias, com 16% de média e 53% de baixa.

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) está no terceiro lugar com 22% de alta confiança, 22% de média e 55% de baixa.

Completam o ranking:

  • O apresentador Luciano Huck (Sem partido) - 21% alta, 22% média e 55% baixa;
  • O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) - 12% alta, 21% média e 62% baixa;
  • O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) - 11% alta, 22% média e 64% baixa;
  • O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) - 10% alta, 21% média e 67% baixa;
  • A ex-ministra Marina Silva (Rede) - 9% alta, 23% média e 65% baixa;
  • O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) - 7% alta, 20% média e 69% baixa;
  • O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) - 7% alta, 18% média e 70% baixa);
  • A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B) - 7% alta, 17% média e 70% baixa;
  • O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM) - 3% alta, 14% média e 73% baixa.

> Para Eduardo Leite, PSDB não deve precipitar debate sobre 2022

> Para rivalizar com PT, PDT de Ciro tenta aliança com PSB para 2020 e 2022

> Cidadania diz que tem “simpatia por Huck”, mas evita falar sobre filiação

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!