Líderes emergentes: quem são os políticos novos que saíram mais fortes das urnas

As eleições consagraram não apenas quem foi eleito, mas também aqueles que fortaleceram suas plataformas políticas. Alguns líderes fortificaram as bases eleitorais municipais dos seus partidos mesmo não conquistando o cargo pleiteado. Políticos inexperientes venceram alguns caciques nas urnas.

Exemplo disso, é o caso do primeiro prefeito do partido Novo eleito em  Joinville, Adriano Silva, que venceu o deputado federal Darci de Matos (PSD-SC) nas urnas locais. Outro exemplo foi a evolução do candidato Guilherme Boulos (Psol-SP), que mesmo sem ganhar a prefeitura da cidade, uniu a esquerda e mobilizou as redes sociais -  campo marcado de protestos e crescimento da direita no país.

Veja outros postulantes fortalecidos:

João Campos (PSB-PE) 

João Campos, prefeito eleito em Recife (PE)

João Campos (PSB-PE) foi eleito o prefeito de Recife (PE). Aos 27 anos, ele é o mais jovem prefeito das capitais brasileiras. No segundo turno, ele protagonizou uma disputa cotra sua prima de segundo grau, a deputada federal petista Marília Arraes. Com a vitória de João Campos, será a sétima vez que Recife terá um prefeito do PSB. Ele está na sua primeira legislatura na Câmara dos Deputados e é filho do ex-deputado federal e ex-presidenciável Eduardo Campos, que faleceu em um acidente aéreo em 2014. João já foi chefe de gabinete em Pernambuco durante o mandato do governador Paulo Câmara. Ele é vice-líder do PSB na Câmara.

Erika Hilton (Psol-SP) 

Erika Hilton (Psol). [fotógrafo] Reprodução/Facebook [/fotógrafo]
Erika Hiilton assume uma cadeira na Câmara Municipal de São Paulo em 2021. Ela é a primeira mulher negra e transexual a ser eleita vereadora de São Paulo. Erika foi eleita com 50.508 votos, a candidata a vereadora mais  votada nestas eleições. Ela é a fundadora de um curso pré-vestibular para transexuais que tentam uma vaga na Universidade de São Carlos, onde a vereadora cursou pedagogia.

 

 

 

 

Suéllen Rosim (Patriota-SP) 

Suéllen Rosim (Patriota).
Reprodução/Facebook
Bauru (SP) elegeu a primeira prefeita de sua história. Suéllen Rosim é  mulher, negra e conservadora. Ela venceu com 55,98% dos votos nas urnas. Ela iniciou a sua carreira política me 2018, quando conquistou 30 mil votos para deputada estadual e ficou com a primeira suplência do Patriotas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Suéllen é formada em Comunicação Social, foi repórter e produtora da TV TEM, afiliada da Rede Globo em Bauru. É evangélica, palestrante, faz trabalhos com publicidade  além de ter uma dupla de música gospel com a irmã, Taynara.

Cinthia Ribeiro (PSDB-TO) 

Cinthia Ribeiro (PSDB). [fotógrafo] Reprodução/Facebook [/fotógrafo]
Cinthia Ribeiro é única mulher eleita para a prefeitura  de uma capital brasileira. É fonoaudióloga de formação. Já foi candidata a vice-governadora de Tocantins, mas não foi eleita.  Em 2016, ela foi eleita vice-prefeita de Carlos Amastha. Em abril de 2018, com a renúncia do prefeito, assumiu a gestão de Palmas e agora volta ao comando da cidade eleita na cabeça da chapa com mais de 46 mil votos.

 

Guilherme Boulos (Psol/SP) 

Guilherme Boulos (PSOL)
Filipe Araújo/ Fotos Publicas
Guilherme Boulos (Psol/SP), não conseguiu tirar a prefeitura de São Paulo do PSDB, mas fortaleceu sua imagem e a do seu partido. Boulos é líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e é a segunda vez que ele concorre a um cargo público. Em 2018, tentou chegar ao Palácio do Planalto, mas obteve apenas 0,58% dos votos válidos. Na eleição para prefeito, Boulos fez 2,1 milhões de votos em São Paulo, o maior colégio eleitoral do Brasil. Durante a campanha, o postulante conseguiu se consolidar nas redes sociais, uniu a militância política da esquerda e angariou apoio dos partidos da ideologia. Atraiu apoio de artistas, intelectuais, empresários e investidores e sai das eleições como uma das mais fortes e promissoras lideranças de esquerda no Brasil.

 

 

 

 

 

 

Continuar lendo