Ibope: Doria e França têm empate técnico; Witzel bate Paes com 60%; Ibaneis chega a 75% no DF

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (17) mostra as tendências de resultados para o segundo turno da eleição para alguns governos de estado. Para todos os levantamentos, a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

São Paulo

O atual governador de São Paulo, Márcio França (PSB), está tecnicamente empatado com o ex-prefeito da capital João Doria (PSDB). O tucano tem 52% dos votos válidos contra 48% de França.

Os votos válidos não levam em consideração os que responderam que ainda não decidiram ou que votariam em branco ou anulariam o voto. Na pesquisa geral, Doria tem 46% contra 42% de França. Brancos e nulos equivalem a 10% e outros 2% não sabem ou não responderam.

Os dois empatam dentro da margem de erro da pesquisa. Doria pode ter entre 49% e 55%, e França, entre 47% e 51%.

A pesquisa encomendada ao Ibope pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo também mediu a rejeição dos dois candidatos. O tucano João Doria é o mais rejeitado entre os 1.512 eleitores consultados pelo Ibope, com 32% dos entrevistados afirmando que não votariam no candidato de jeito algum.

A rejeição de França é de 20%, mas o desconhecimento sobre sua figura é mais elevado: 28% dos entrevistados responderam que não conheciam França o suficiente para opinar, índice que foi de 18% em relação a Doria.

A pesquisa de São Paulo foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) com código de protocolo SP-07777/2018. No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o registro BR-07265/2018. O levantamento foi realizado entre 15 e 17 de outubro e o índice de confiança é de 95%.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) aparece à frente, com 60% dos votos válidos, contra 40% do ex-prefeito carioca Eduardo Paes (DEM). Considerando-se os votos totais, Witzel tem 51% e Paes, 34%. Brancos e nulos são 9% dos entrevistados, e 5% não souberam responder.

No levantamento sobre o potencial de voto e a rejeição dos candidatos, Witzel aparece com os seguintes resultados:

Com certeza votaria nele para governador: 40%

Poderia votar nele para governador: 14%

Não votaria nele de jeito algum: 18%

Não o conhece o suficiente para opinar: 26%

Não sabem ou preferem não opinar: 2%

Eduardo Paes é mais rejeitado. Eleitores que não votariam nele de jeito algum chegam a 48%. Seguem os resultados:

Com certeza votaria nele para governador: 21%

Poderia votar nele para governador: 18%

Não votaria nele de jeito algum: 48%

Não o conhece o suficiente para opinar: 11%

Não sabem ou preferem não opinar: 2%

A pesquisa no Rio de Janeiro foi realizada de 15 a 17 de outubro. Foram entrevistados 1.512 eleitores em 43 cidades. O levantamento foi contratado pela TV Globo e pela Editora Globo e tem registro no TRE com o protocolo RJ-04021/2018. No TSE, BR-01312/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Distrito Federal

No DF, o candidato Ibaneis Rocha, do MDB, tem 50 pontos percentuais a mais que o atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), nos votos válidos, quando são descartados brancos, nulos e indecisos. Ibaneis tem 75%, contra 25% de Rollemberg.

Se forem considerados os votos totais, o candidato do MDB aparece com 68% e seu adversário tem 23%. Nessa contagem, brancos e nulos são 6%, e 3% dos entrevistados não souberam ou não responderam.

Nas perguntas sobre o potencial de voto e a rejeição dos candidatos, os resultados são os seguintes:

Com certeza votaria nele para governador: Ibaneis 49% X 13% Rollemberg

Poderia votar nele para governador: Ibaneis 18% X 17% Rollemberg

Não votaria nele de jeito nenhum: Ibaneis 14% X 59% Rollemberg

Não o conhece o suficiente para opinar: Ibaneis 17% X 9% Rollemberg

Não sabem ou preferem não opinar: Ibaneis 2% X 2% Rollemberg

O Ibope entrevistou 1.204 eleitores no DF, de 14 a 16 de outubro. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e tem registro no TRE com protocolo DF-05023/2018 e, no TSE, BR-04848/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Minas Gerais

Em Minas, o candidato do Novo, Romeu Zema, lidera com folga. Ele tem 66% dos votos válidos contra 34% de Antônio Anastasia (PSDB). Na pesquisa geral, Zema tem 57% contra 29% de Anastasia. Brancos ou nulos somaram 8% e 6% não sabem ou não opinaram.

Anastasia é o mais rejeitado dos dois. Dos 1.512 eleitores entrevistados entre 15 e 17 de outubro, 41% deles não votariam de jeito nenhum no tucano. Zema tem rejeição de 13% do eleitorado entrevistado.

Zema é considerado desconhecido por 25% dos entrevistados, índice que foi de 18% sobre Anastasia.

A pesquisa Ibope para o segundo turno em Minas Gerais foi encomendada pela TV Globo e registrada sob o protocolo MG-00033/2018 no TRE de Minas Gerais e sob o protocolo BR‐09365/2018 no TSE. O índice de confiança é de 95%.

Rio Grande do Sul

Nos votos válidos, Eduardo Leite (PSDB) teve 59%, e José Ivo Sartori (MDB), 41%. Já nos votos totais, Leite pontua 52% e Sartori, 36%. Brancos e nulos somam 8% e não souberam responder, 4%.

A rejeição a Sartori é de 36%. Os entrevistados que disseram que com certeza votariam nele para governador chegam a 26%, e 24% dos eleitores responderam que poderiam votar no emedebista. Os que não opinaram por não conhecerem o candidato suficientemente somaram 12%, e 1% não souberam ou não opinaram.

Leite é menos rejeitado: 12% dos eleitores não votariam nele de jeito nenhum. E 36% responderam que votariam com certeza no tucano. Outros 25% disseram que poderiam votar no candidato. Entre os entrevistados, 25% não o conhecem o suficiente para opinar, enquanto 2% não souberam ou preferiram não responder.

O levantamento foi contratado pela RBS Participações e ouviu 1.008 eleitores em 63 cidades do Rio Grande do Sul, de 14 a 16 de outubro. A pesquisa foi registrada no TRE-RS sob o protocolo RS-01741/2018 e no TSE sob o protocolo BR-08755/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Rio Grande do Norte

Fátima Bezerra, do PT, aparece à frente com 54% dos votos válidos. Carlos Eduardo (PDT) pontuou 46%. Nos votos totais, Fátima tem 48% e Carlos Eduardo, 42%. Brancos e nulos são 8%. Não souberam responder, 2%.

O potencial de Carlos Eduardo é de 33% de eleitores que votariam nele com certeza e 18% que poderiam votar nele. A rejeição do candidato do PDT é de 31%. Os que disseram não o conhecer o suficiente para opinar somam 14%, e 3% não sabem ou preferem não opinar.

Fátima Bezerra tem 38% de eleitores que votariam com certeza na petista, e 15% que poderiam votar na candidata. Já 33% disseram que não votariam de jeito nenhum em Fátima. Do total de entrevistados, 10% responderam que não conhecem a candidata o suficiente para opinar, e 3% não sabem ou preferem não opinar.

O levantamento, contratado pela Inter TV Costa Branca, entrevistou 812 pessoas em 40 cidades no RN, de 14 a 16 de outubro. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-08202/2018 e no TRE-RN sob o protocolo RN-07695/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad 41%, diz Ibope

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!