Eleição poderá ter disputa até entre irmãos

Renata Camargo


A um ano das eleições ainda não é possível estabelecer quadros consolidados nas disputas eleitorais nos estados. As articulações para costurar as candidaturas ainda estão sendo feitas e, em boa parte dos casos, ainda exigem costuras e articulações dentro dos próprios partidos. Oficialmente, as eleições só começam em junho de 2010, quando serão registradas as candidaturas e realizados os primeiros comícios.

No Paraná, o PSDB tem dois pré-candidatos ao governo: Alvaro Dias e o atual prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB). Por orientação do presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), a escolha do candidato será feita a partir de pesquisa de opinião dentro do partido.

Se Alvaro Dias ganhar a disputa interna, poderá enfrentar a candidatura do irmão, o também senador Osmar Dias (PDT-PR). O PDT estuda lançar candidato próprio no Paraná e, se o fizer, poderá ter apoio do PT, interessado no palanque pedetista para a campanha presidencial.
 
Alvaro Dias conta que já fez um entendimento prévio com Beto Richa. “Nós não pretendemos disputar um contra o outro. Já entramos em acordo que quem tiver mais condições eleitorais para disputar terá o apoio do outro”, diz. Alvaro foi governador do Paraná entre 1987 e 1991. Osmar perdeu a eleição para o governador Roberto Requião (PMDB), em 2006, por uma diferença de 0,2 ponto percentual.

Campanha há um ano

Dois senadores também poderão se enfrentar nos estados de Rondônia, Santa Catarina e Tocantins. O senador João Ribeiro (PR) pode disputar o governo de Tocantins com a presidente da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM). Apesar de o período eleitoral só começar em meados de 2010, a assessoria de João Ribeiro diz que o senador já está em campanha “há um ano”.

Segundo a assessoria da senadora, Kátia ainda não decidiu se vai para as urnas, mas estuda com carinho a proposta de se candidatar ao governo estadual. A senadora ganhou projeção nos últimos anos como uma das referências da bancada ruralista no Congresso.

Em Santa Catarina, são pré-candidatos a senadora Ideli Salvati (PT) e o senador Raimundo Colombo (DEM). Os dois se dispõem enfrentar a deputada federal Ângela Amin (PP-SC), que aparece com ligeira vantagem sobre ambos os senadores nas primeiras pesquisas eleitorais.

A disputa também se desenha entre a senadora petista Fátima Cleide (PT-RO) – que perdeu as eleições para Ivo Cassol (PPS) nas eleições 2006 – e o senador Expedito Júnior (PSDB-RO), que mudou de partido para entrar na campanha estadual e dar palanque para o candidato presidencial do PSDB. Embora estivesse no PR, Expedito sempre fez oposição ao governo Lula.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!