Eduardo Jorge (PV)

Candidato apoia temas polêmicos, evitados pela maioria dos candidatos, como a descriminalização da maconha e do aborto e o casamento gay

Natural de Salvador, é médico e tem 65 anos. Pelo PT, foi deputado estadual e federal. Também foi secretário municipal de Saúde e Meio Ambiente de São Paulo nas gestões de Luiza Erundina (então no PT), Marta Suplicy (PT), José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (ex-DEM, hoje PSD).

Trocou o PT pelo PV após divergências internas com seu antigo partido. Ainda no governo Fernando Henrique Cardoso, o então deputado petista contrariou a posição de sua bancada e votou a favor da reforma da Previdência e da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) com recursos para a saúde. Tem como vice a vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento (PV). Sua proposta de governo inclui temas polêmicos, evitados pela maioria dos candidatos, como a descriminalização da maconha e do aborto e o apoio ao casamento gay.

A estimativa inicial de gastos de sua campanha era de R$ 90 milhões. Mas ele pediu que o teto fosse reduzido para R$ 15 milhões após decidir não receber doações de empresas privadas. Seus bens estão estimados em R$ 412 mil. Apenas o PV dá sustentação a sua candidatura, sem alianças com outros partidos.

Veja a entrevista de Eduardo Jorge ao Congresso em Foco.

Declaração de bens do candidato
Os financiadores de Eduardo Jorge

As propostas de governo

Mais sobre eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Eleições 2014