Eduardo Bolsonaro: candidatura de Joice à prefeita de SP será um fracasso

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou neste domingo (30) a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). Segundo o UOL, a candidatura de Joice à prefeita de São Paulo será confirmada na segunda-feira (31).

"É lindo ver a Pepa, rainha dos traíras, correndo atrás do apoio de Bolsonaro. Não adianta rastejar, quem vai te julgar é o povo de SP. Só quero que saia candidata para ver em quem vai botar a culpa pelo seu fracasso", disse o terceiro filho do presidente Jair Bolsonaro.

 

Eduardo faz parte de um grupo de 17 deputados que foram suspensos das atividades partidárias pelo PSL. O motivo da punição é o fato de estarem participando da fundação de um novo partido, o Aliança Pelo Brasil.

Com a sanção, os deputados ficam proibidos de assumir cargos de líder, vice-líder e de ter voto em decisões internas da legenda, como na escolha para líder.

Com a dificuldade em formar a nova sigla, eles têm apelado a Bolsonaro para uma aproximação com o PSL e o fim das sanções partidárias impostas.

> Justiça do DF autoriza suspensão de Eduardo Bolsonaro do PSL

Volta ao PSL

O presidente da República está sem legenda desde de novembro de 2019, quando saiu do PSL após um processo de disputa interna com o presidente da sigla, Luciano Bivar.

Apesar dos atritos, Bolsonaro se reaproximou do partido nos últimos dois meses e não descarta voltar ao PSL. Outras opções avaliadas são o PTB, já citado por ele durante live, o Patriota e até manter as articulações para fundar o Aliança pelo Brasil.

Para voltar ao partido, o presidente externou o desejo de retomar o controle de diretórios estaduais. Antes de sair da sigla, os seus filhos, Flávio e Eduardo, comandavam respectivamente o PSL no Rio de Janeiro e em São Paulo. O grupo de apoiadores de Bolsonaro também manifestou a intenção de trocar candidatos nas eleições municipais deste ano, o principal alvo é a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), pré-candidata do partido a prefeita de São Paulo.

A volta de Bolsonaro enfrenta resistência interna, principalmente da ala paulista do partido. São eles o deputado Júnior Bozella, vice-presidente nacional e presidente do diretório estadual de São Paulo, o senador Major Olimpio, líder da sigla,  e a deputada Joice Hasselmann.

Bolsonaro disse a aliados que vai esperar a definição do sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Câmara para começar a conversar sobre se filiar a um partido. O período vai servir para avaliar a reorganização das forças partidárias após as eleições municipais e a definição do comando na Câmara.

> PSL negocia fim de punição a deputados, mas evita falar em volta de Bolsonaro

> Bolsonaro decide sair do PSL e fundar novo partido

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!