Aliança com Jader fragiliza Dilma, dizem petistas em manifesto

Frente por candidatura própria do PT ao governo do Pará diz que aliança com o PMDB no estado desrespeita a democracia interna partidária e ameaça retirar votos da presidenta

"1. O Partido dos Trabalhadores é reconhecidamente o maior partido do Brasil e da América Latina, possui uma grande história e papel destacado na redemocratização do país, na organização e defesa da classe trabalhadora, na implementação das políticas sociais de combate à miséria, de valorização do salário mínimo, que combinou crescimento econômico com desenvolvimento social. O PT mudou a cara do país através de políticas públicas que buscam transformar a nação num lugar menos injusto, desigual e feliz para a maioria do seu povo.

2. Em 2014 o PT tem o desafio de reeleger a presidenta Dilma em condições de realizar um mandato que avance nas conquistas democráticas do povo brasileiro - implementar a reforma política, tributária, urbana e agrária, além de democratizar os meios de comunicação. Para isso o PT necessita ser capaz de construir alianças eleitorais pautadas na coerência programática e cuja estratégia seja claramente a realização de mudanças estruturais em nossa sociedade.

3. Acreditamos que o PT do Pará deve enfrentar o desafio de liderar um bloco de forças de esquerda e progressistas capaz de derrotar o governo Jatene/PSDB. Afinal, temos clareza que o maior e principal inimigo da classe trabalhadora e da juventude do Pará e do Brasil são os tucanos e seus governos de proliferação da miséria e de 'faz de conta' na mídia. O governo do PSDB tenta insistentemente iludir e esconder do povo do Pará o caos generalizado em que vivemos, representado pelo assustador aumento da violência e da insegurança, pelo descaso com a saúde da população, no desmonte das políticas sociais implementadas no Governo Popular (2007 - 2010). O governo Jatene/PSDB é desastroso em realizações e se tornou motivo de constrangimento e vergonha até para seus aliados. Derrotar o governo Jatene, acreditamos, é tarefa prioritária para o PT do Pará e para a esquerda democrática e progressista.

4. O compromisso prematuro de dirigentes do PT em apoiar um candidato da base aliada desrespeita a democracia interna partidária, fragiliza enormemente a campanha de Dilma em nosso estado e obviamente, não apresenta uma alternativa transformadora para o Pará, já que aposta prioritariamente na aliança com forças políticas tradicionais do Estado, responsáveis, por ação e omissão, pelas mazelas de nosso povo.

5. Esses dirigentes propõem que apoiemos um candidato cujo grupo político teve papel fundamental na derrota do governo Ana Júlia, e que até seis meses atrás fazia parte do governo Jatene, ocupando secretarias estratégicas, e que, portanto, também é responsável pelo pífio resultado do atual governo.

6. O PT no Pará tem história e força politica para incidir na conjuntura política eleitoral de 2014: governamos 23 prefeituras no estado, temos várias vice-prefeituras, uma forte e combativa bancada de 8 deputados estaduais e 4 deputados federais, além de historicamente estarmos ligados às lutas dos movimentos sociais e populares.

7. Não necessitamos de sacrifícios inúteis, que desmobilizam nossa militância e simpatizantes, além de fragilizar politicamente nossos gestores municipais. Nas eleições de 2010, mesmo sem o engajamento do PMDB do Pará na campanha presidencial, nossa companheira Dilma teve, no primeiro turno, 47, 93% (equivalente a 1.699.799 votos) e no segundo turno 53,2% (1.791.443 votos). Hoje, como demonstram recentes pesquisas eleitorais, o PT está fortalecido em nosso Estado. Mesmo sem candidato lançado, temos bons nomes para a disputa. A presidenta Dilma, por sua vez, tem preferência de 68% dos eleitores. Esses dados comprovam que a tática de um "chapão" liderado por PMDB a qual setores da direção do partido apoiam não é a melhor alternativa eleitoral para derrotarmos as elites e oligarquias e para garantirmos uma vitória robusta de Dilma no Pará.

8. Queremos olhar nos olhos do/as paraenses com o brilho do orgulho de sermos petistas, que lutam incansavelmente para o Pará acompanhar as transformações e avanços por que passa o Brasil. Foi com esses objetivos e compromissos que apresentamos o nome do deputado federal Cláudio Puty para ser o candidato do PT ao governo do Estado e este aceitou esta tarefa para debater com a militância e a sociedade uma alternativa política nas eleições de 2014. Deputado Puty tem o apoio de militantes, diversas tendências, agrupamentos, parlamentares, dirigentes e simpatizantes do PT.

9. Neste sentido, a Frente Petista por uma Candidatura Própria ao Governo do Estado do Pará, CONCLAMA a participação dos militantes, filiados, dirigentes e simpatizantes para dialogarmos sobre os rumos que devemos seguir nestas eleições. Queremos fortalecer o PT do Pará, porque acreditamos que neste momento histórico somente nosso partido pode apresentar uma candidatura viável que lidere uma ampla aliança progressista que represente a derrota das oligarquias e dos tucanos.

Saudações aos militantes, filiadas e filiados petistas. Contamos com o seu apoio!"

Leia mais sobre eleições 2014

Petistas protestam contra apoio ao PMDB no Pará

Filho de Jader Barbalho aposta no PT para ser governador

Mais sobre eleições 2014

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!