Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Alckmin terá quase metade do horário eleitoral. Bolsonaro, só 7 segundos

Os dois principais colocados nas pesquisas eleitorais, afora o ex-presidente Lula, o a Jair Bolsonaro (PSL) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) terão, juntos, menos de 5% do espaço da propaganda de TV e rádio, que começa no próximo dia 31, informa a Folha de S.Paulo. Devido à falta e alianças relevantes e à fragilidade de suas bancadas no Congresso, Bolsonaro e Marina terão de focar seus esforços para aparecer bem na internet.

Em cada bloco do horário eleitoral, Bolsonaro terá direito a apenas 7 segundos. Por causa da aliança com o PV, Marina deverá ocupar apenas 24 segundos. Com dificuldade para subir nas pesquisas até agora, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin terá o palanque eletrônico à sua disposição. Deve ficar com 5 minutos e 32 segundos por bloco, quase metade de todo o tempo destinado aos presidenciáveis. Juntos, os candidatos do PT e do MDB ficarão com um terço do horário.

A projeção feita pela Folha pode sofrer alterações porque ainda há possibilidade de mudança nos arranjos políticos até o início da segunda quinzena deste mês, quando será concluído o registro de todas as candidaturas.

A propaganda dos candidatos a presidente na TV e rádio dura 35 dias e ocorre de duas formas: às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, os candidatos a presidente terão direito a dois blocos fixos de 12 minutos e 30 segundos cada um, à tarde e à noite. Mas a parte considerada mais importante pelos candidatos, por pegar o eleitor de surpresa, são as chamadas inserções. As peças de 15 ou 30 segundos de duração que vão ao ar entre 31 de agosto e 4 de outubro nos intervalos comerciais das emissoras.

Pela projeção, Alckmin terá direito a 12 inserções de 30 segundos a cada dia, por emissora. O candidato do PT e Henrique Meirelles terão quatro cada um.

Continuar lendo