#FicaWeintraub: Tag cresce após MBL pedir demissão do ministro

A internet presencia nesta quarta-feira (29) mais uma briga entre aliados e ex-aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Dessa vez, o Movimento Brasil Livre (MBL) contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

> STJ libera divulgação do resultado do Sisu

A discussão começou ainda ontem, quando o perfil oficial do MBL publicou uma série de mensagens criticando Weintraub e lembrando os erros de português cometidos pelo ministro.

De acordo com o MBL, Weintraub é um "fanfarrão irresponsável que só sabe brincar em redes sociais". No fim das publicações, o movimento pede a demissão do ministro. "Que o presidente coloque uma pessoa séria - com curriculum e histórico de entregas no setor -, para transformar este ministério que, hoje, mais parece um manicômio", publicou.

As criticas dos ex-aliados provocou um movimento, aparentemente, de resposta, com o crescimento da hashtag #FicaWeintraub, que está em primeiro lugar nos Trending Topics nacionais. Um dos que participa dessa iniciativa contrária ao MBL foi o irmão do ministro, Arthur Weintraub, assessor especial do presidente Bolsonaro.

Entre os que comentam a tag, no entanto, há também pessoas criticando o ministro e questionando a pertinência do movimento, no momento em que Weintraub passa por uma crise no seu ministério, após o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) apresentar problemas.

> Bolsonaro promete apurar falhas no Enem

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!