Bolsonaro indica saída de Vélez do Ministério da Educação e fim do horário de verão

Para Bolsonaro, “está claro” que a atuação do ministro “não está dando certo” e que “está faltando gestão” no Ministério da Educação

Samanta do Carmo

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, pode deixar o cargo na próxima segunda-feira. O próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou durante encontro com jornalistas, nesta sexta-feira, que a decisão de manter ou não Vélez no cargo deve ser tomada no início da semana que vem. Para Bolsonaro, “está claro” que a atuação do ministro “não está dando certo” e que “está faltando gestão” no Ministério da Educação. Ao ser informado, em São Paulo, sobre a declaração do presidente, Vélez descartou entregar o cargo. Ou seja, só sairá se for demitido.

A reforma da Previdência também foi tema do encontro, que contou com a presença de ministros, como Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, e Sérgio Moro, da Justiça. O presidente comentou que prevê dificuldades no debate sobre o regime de capitalização e considera que, se o tema acabar complicando a tramitação da reforma, pode ser retirado do texto. Ele falou sobre os problemas enfrentados para conseguir apoio de parlamentares no Congresso. Bolsonaro admitiu erros ao comentar que já deu "muitas caneladas" nos seus 28 anos de mandato como deputado, mas também minimizou a situação dizendo que fez "xixi na cama até os cinco anos". "Vou ter de me arrepender disso também?”, completou o presidente, na conversa com jornalistas.

Jair Bolsonaro afirmou ainda que não deve haver horário de verão neste ano. Segundo ele, "está quase batido o martelo" pelo fim do horário de verão. O presidente disse que a mudança foi sugestão de um parlamentar da base aliada, o deputado João Campos (PRB-GO). A área técnica do governo está estudando a medida, inclusive com a participação do Ministério de Minas e Energia.

Na lista de profissionais convidados estava a apresentadora Luciana Gimenez, da Rede TV, além de representantes dos principais jornais de circulação nacional e veículos regionais.

>> Em meio a incertezas, MEC nomeia militar para segundo cargo da pasta 

 

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!