Senado deve escolher Davi Alcolumbre para relatar socorro a estados

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse ao Congresso em Foco  que que está em fase final de definição a escolha do relator do projeto de socorro a estados. O emedebista citou a possibilidade do próprio presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ser o responsável pelo parecer. “Tenho ouvido sugestões para ser o próprio Davi. Temos que negociar com a Câmara e o governo”.

>Câmara aprova pacote de socorro a estados; governo é contrário

O projeto de lei tramita de forma lenta no Senado. A matéria foi aprovada na última segunda-feira (13) pela Câmara, mas ainda não foi escolhido um senador para relatar o texto. A iniciativa é considerada excessiva para e equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro. Para reduzir o impacto fiscal do projeto, o governo aposta nos senadores.

As informações deste texto foram publicadas antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país   

Senadores querem exigir contrapartidas 

O projeto de lei de socorro financeiro a estados é alvo de tentativas de modificações por parte dos senadores. A maior parte dos pedidos de alteração é feita para conter o impacto financeiro da proposta. Emenda do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) cria uma série de exigências a serem cumpridas por governadores e prefeitos para que os estados e municípios sejam auxiliados.

O senador Márcio Bittar (MDB-AC) sugere emenda para que não seja levado em conta o critério das perdas de ICMS e ISS para compensar financeiramente os estados. Esse ponto causa temor no governo pela imprevisibilidade do impacto e também pelo receio de que governantes deixem de arrecadar para receber ajuda maior.

“O que se cria é um verdadeiro cheque em branco para que governadores e prefeitos recebam recursos e os utilizem sem se preocupar com o equilíbrio das contas públicas e retira deles a obrigatoriedade de tomar medidas de ajuste necessárias”, escreve o senador ao justificar a solicitação.

>Relator na Câmara deve reduzir auxílio a estados

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!