Secretário da Previdência trata de aposentadorias policiais com Moro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e o secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, se reuniram hoje na sede do Ministério da Justiça em Brasília. Eles trataram "basicamente de aposentadorias especiais de policiais", ideia discutida no âmbito da reforma da Previdência.

"Conversamos sobre as primeiras medidas da medida provisória que combate fraudes e, em linhas gerais, o que pretendemos com a própria reforma previdenciária", disse o secretário, que não detalhou à imprensa a ideia do governo para as aposentadorias. Marinho, ex-deputado federal (PSDB-RN), informou apenas que Moro fez "algumas considerações" que serão levadas em conta.

Guedes recebe Maia para tratar da reforma da Previdência

Onyx contesta reforma da Previdência com 40 anos de contribuição: “Será muito diferente”

De acordo com Marinho, o projeto de reforma da Previdência do governo federal será enviado ao Congresso Nacional até o fim de fevereiro. Para ele, o fato de a proposta ser encaminhada junto com o projeto que torna mais rígido o combate aos crimes violentos, de corrupção e de organizações criminosas, a tramitação dos projetos não será prejudicada.

"A Casa Civil, os ministérios da Economia e da Justiça estão juntos, estabelecendo uma estratégia que dê conforto à tramitação dos dois projetos que tratam de assuntos distintos", acrescentou Marinho. Ele confirmou que, conforme o presidente Jair Bolsonaro já comentou, também os militares serão incluídos no projeto de reforma da Previdência.

"Na ocasião da remessa do projeto a Câmara, teremos as condições de estabelecer e divulgar qual será a estratégia. Quem vai definir o timing e a forma como irá acontecer será o próprio presidente."

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!