Montezano dá dois meses para dizer se há ‘caixa-preta’ no BNDES

Lauriberto Pompeu

O presidente BNDES, Gustavo Montezano, disse nesta terça-feira (16) que ainda não tem opinião definida sobre a “caixa-preta” do banco e que irá apresentar em dois meses sua conclusão sobre o assunto. A declaração foi dada em entrevista a jornalistas no Ministério da Economia.

“Não sou político, não tenho carreira política, não estou tomando nenhum partido em torno desse debate. Sou um executivo e estou comandando um banco de serviços. Banco vive de credibilidade e hoje essa imagem do banco é extremamente questionada”, declarou.

O presidente Jair Bolsonaro adota desde a campanha eleitoral de 2018 o discurso de abrir a “caixa-preta” do banco de fomento por supostas irregularidades durante os governos anteriores.

A medida foi definida como “prioridade número zero” pelo comandante do banco público.

Na manhã desta terça, Montezano foi empossado como presidente do banco de fomento. Em seu discurso de posse definiu cinco metas.

Na conversa com a imprensa, ele explicou as metas de forma mais detalhada. Ele também disse que o BNDES vai passar a atuar como um consultor de investimentos para governos municipais, estaduais e federal.

Venda de ações em bolsas

A meta tida como prioridade número dois para Montezano é acelerar a venda de participações especulativas em bolsa de valores que o banco possui.

Segundo ele o total está na ordem de R$ 100 bilhões, mas o presidente do banco ressaltou que a totalidade desse valor não será necessariamente será vendida, mas sim a maior quantidade possível.

Devolução de recursos ao Tesouro

Sobre a terceira meta, que é concluir a devolução de recursos do Tesouro Nacional, Montezano disse que neste ano foram devolvidos R$ 40 bilhões e que a meta total para 2019 é R$ 126 bilhões.

De acordo com o presidente do BNDES a meta total dos recursos devolvidos até o final do mandato do presidente Jair Bolsonaro é de R$ 270 bilhões.

Plano trianual

O BNDES trabalha na elaboração  até o final de 2019 de um plano trianual com orçamento, metas claras e redimensionamento do banco. Montezano afirmou que possivelmente o lucro financeiro do BNDES será menor, mas que que o benefício para sociedade será maior.

Serviços a sociedade

A quinta prioridade definida consiste na melhora da prestação de serviços sociais feitos pelo banco. Segundo Montezano, isso permite que o Estado foque em educação, saúde e segurança.

Como exemplo, Gustavo Montezano citou investimentos em saneamento básico.

Após a entrevista com jornalistas, o presidente do BNDES foi a uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes Freitas, para conversar investimentos na área de infraestrutura.

BNDEScaixa-preta do BNDESGustavo MontezanoJair Bolsonaro