Petroleiros aceitam acordo e greve termina depois de 20 dias

Os sindicatos que representam os petroleiros e a direção da Petrobras chegaram a um acordo, nesta sexta-feira (21), e a greve dos trabalhadores da estatal terminou após 20 dias. O fim da paralisação foi decidido em uma reunião realizada no Tribunal Superior do Trabalho (TST), mediada pelo ministro Ives Gandra Martins Filho.

> Dólar atinge máxima histórica e chega a 4,40. Entenda os motivos

No acordo, trabalhadores conseguiram mudanças na tabela de turnos de trabalho, uma das reivindicações do movimento grevista.

Outro ponto que estava na pauta do movimento é a demissão de funcionários da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados, subsidiária da estatal no Paraná que foi desativada. As demissões foram suspensas até o dia 6 de março e o assunto será retomado em uma nova reunião, na quinta-feira (27).

A FUP, Federação Única dos Petroleiros, afirmou que os petroleiros voltam ao trabalho de cabeça erguida, de olho nos próximos embates.

No início da semana, o ministro Ives Gandra declarou a greve ilegal e impôs sanções como cortes salariais e multas aos petroleiros e suas entidades representativas. No acordo desta sexta-feira (21), essas punições foram atenuadas. O desconto salarial será aplicado a metade dos dias de paralisação e a multa aos sindicatos foi reduzida de R$ 58 milhões para R$ 2,5 milhões.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!