Não há ambiente para reforma tributária ampla e irrestrita, diz CNI

O presidente da CNI, Robson Andrade, acredita que a aprovação de uma reforma tributária que alcance os impostos federais, embora não seja a ideal, é o cenário mais factível para 2020. A análise foi feita durante apresentação do “Informe Conjuntural – Economia Brasileira", documento elaborado pela instituição com perspectivas econômicas para o ano que vem.

> Fundo eleitoral fica em R$ 2 bilhões, decide relator do Orçamento

“Desejaríamos uma reforma ampla e irrestrita. Mas entendemos que não tem ambiente para fazer isso no prazo de um ano. Ainda mais considerando que tem eleição, processo legislativo mais curto. Mas só a reforma dos impostos federais é uma grande vantagem. Se conseguirmos uma reforma que inclua IPI, PIS e Cofins já vai ajudar muito. Um dos impostos mais complicados que temos é o PIS. É um complicador que nem a receita consegue te dar respostas para algumas questões”, disse.

Para o presidente da CNI, é preciso aprovar uma reforma de impostos federais para estimular os estados a também promoverem mudanças em seus tributos. “Outro imposto complicado é o ICMS, que tem 27 legislações diferentes. Empresa nacional tem dificuldades e acaba sendo penalizada sem ter agido de maneira dolosa. Não foi algo proposital. Hoje estados têm grande problemas para ter uma situação saudável. Isso vai passar por uma reforma administrativa, tributária e da previdência nos estados. Se não fizer isso, não tem jeito.”

> Orçamento: Congresso reduz fundo eleitoral e aumenta investimentos

> Orçamento, MP do Coaf e Saneamento: a reta final do Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!