Mansueto discorda de Guedes sobre o PIB: “Não durmo tranquilo”

Pela primeira vez, o ministro Paulo Guedes e o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, divergiram publicamente. Homem de confiança do ministro, o secretário do Tesouro contrariou o chefe ao lamentar o crescimento de 1,1% do PIB em 2019. Guedes, no entanto, questionou a reação de surpresa com o resultado.

> Aguinaldo Ribeiro: “Não há reforma tributária sem o governo”

> “A gente não consegue organizar um país apenas fazendo reformas”, diz Maia

Mansueto afirmou que o crescimento alcançado, inferior aos registrados nos dois anos anteriores, não é normal e tira o seu sono. “Estou muito preocupado, não durmo tranquilo. Não é normal um país como o Brasil crescer 1% ao ano. Isso causa frustração em vários segmentos da sociedade”, disse Mansueto.

Já Guedes disse não entender a “comoção”. "Estou surpreso com a surpresa que vocês estão tendo”, declarou ontem à imprensa. No Fórum Econômico Mundial, em janeiro, o ministro disse que a economia deveria crescer 1,2% este ano e 2,5% em 2020, após a aprovação das reformas. Ano passado ele chegou a fazer projeções mais otimistas.

O dólar atingiu hoje a maior cotação intradiária: R$ 4,629, com alta de 1,08%. O Ibovespa recuou 1,81%, aos 105.283 pontos. Isso ocorreu após duas intervenções do Banco Central. Segundo analistas, pesaram nos indicadores fatores internacionais e nacionais, como a frustração com o crescimento do PIB.

Mansueto já foi elogiado várias vezes por Guedes, que disse temer perdê-lo para o setor privado e deu a ele o comando do Conselho Fiscal da República. Afirmou ainda que esperava perdê-lo até o fim deste ano.

> “São 15 semanas para mudar o Brasil”, diz Guedes a MBL e Vem pra Rua

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!