Maia reage à acusação de Bolsonaro e pauta MP do auxílio emergencial

Depois de ser acusado por Jair Bolsonaro de ser o culpado pelo não pagamento da 13ª parcela do Bolsa Família em 2020, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reagiu e colocou em pauta na sessão desta sexta-feira (18), a medida provisória que prorroga o Auxílio Emergencial até dezembro, incluindo nela o pagamento do 13º do Bolsa Família.

O governo não quer pautar a MP porque teme que, em plenário, o valor seja elevado dos R$ 300 propostos para R$ 600 e que o benefício seja prorrogado para 2021. 

"Já que o governo quer o 13º do Bolsa Família, vão poder defender a medida na MP do auxílio”, disse o presidente da Câmara ao G1.

Ao Congresso em Foco, o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), disse que está tentando construir uma solução.

Continuar lendo