Maia recua e diz confiar em Campos Neto após acusá-lo de vazar conversa

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acusou o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de ter vazado para a imprensa uma conversa que os dois tiveram reservadamente ontem. “A atitude do presidente do Banco Central de ter vazado para a imprensa uma conversa particular que tivemos ontem não está à altura de um presidente de banco de um país sério”, escreveu Maia no Twitter. Após a publicação da mensagem, Campos Neto telefonou para o presidente da Câmara para explicar que não havia sido ele o responsável pela divulgação do teor da conversa.

O estremecimento na relação entre os dois ocorre quando o mercado vive turbulência em meio à postergação das reformas e às incertezas do cenário internacional com uma segunda onda de coronavírus na Europa.

Segundo relato feito pelo jornal O Estado de S. Paulo, Campos Neto demonstrou preocupação com a demora na votação das reformas e pediu uma trégua nas turbulências políticas para que o país avance no ajuste fiscal. Ainda de acordo com o Estadão, o presidente do Banco Central disse a Maia que as incertezas no Congresso têm impactado o desempenho da bolsa e do dólar.

Maia repetiu, ainda conforme o jornal, o que tem dito publicamente: que as votações estão emperradas na Câmara por causa da própria base governista. Liderado pelo deputado Arthur Lira (PP-AL), o Centrão tem barrado as votações em meio às disputas pelo comando da Comissão Mista de Orçamento. O Centrão tenta emplacar a deputada Flávia Arruda (PL-DF), mas o grupo de Maia defende que a presidência da CMO fique com o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA).

>Após pressão, Bolsonaro recua e revoga decreto sobre privatização no SUS

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!