Líder do governo cobra reforma tributária da equipe econômica

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), cobrou da equipe econômica nesta segunda-feira (7) que se posicione de maneira definitiva sobre a reforma tributária. Vitor Hugo disse ao Congresso em Foco que, até agora, a equipe do ministro Paulo Guedes não definiu se enviará uma nova proposta ao Parlamento ou se encaminhará apenas sugestões aos relatores da reforma na Câmara e no Senado. O governo também não se posicionou oficialmente sobre o texto que prefere: se o relatado por Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) na Câmara, elaborado pelo economista Bernardo Appy e apresentado pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP) ou o que está sob relatoria de Roberto Rocha (PSDB-MA) no Senado, concebido pelo ex-deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR).

> Maia deixa futuro da pauta econômica nas mãos de Bolsonaro

“Estamos esperando uma decisão da equipe econômica. Não sabemos ainda se será enviada uma proposta independente ou se vão apenas fazer sugestões aos relatores. Queremos que isso ocorra o mais rápido possível porque há uma ansiedade muito grande entre os atores envolvidos”, afirmou. O líder do governo contou que tem evitado comparecer às reuniões da comissão especial da Câmara para não ser cobrado publicamente a respeito de um assunto para o qual ainda não tem resposta.
Major Vitor Hugo evita responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes pela demora. “Tem um esforço grande da parte deles. Mas os técnicos do Ministério da Economia precisam fechar e apresentar. O governo tem de participar. É o sentimento que eu tenho de lá [da comissão especial].

O deputado diz perceber uma melhora no ambiente entre a Câmara e o governo. “Aprovamos cinco medidas provisórias em duas semanas. Três delas na terça-feira da semana passada. É um avanço, uma demonstração de que o clima está melhorando entre o governo e o Congresso. Ao longo do ano muitas medidas provisórias chegaram com prazo muito apertado e acabaram caducando”, ressaltou.

> Criação de comissão mista da reforma tributária pode caminhar, diz Maia

> Contribua para o jornalismo independente!

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!