Paulo Guedes põe relator da nova lei trabalhista para tocar reforma da Previdência

O futuro Ministro da Economia, Paulo Guedes, anuncioou nesta terça-feira (11) o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN) para o cargo de Secretário Especial de Previdência. O assunto é um dos mais delicados da pauta econômica, com status de prioridade, e aliados do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) têm dado declarações divergentes sobre como a equipe econômica cuidará do assunto.

Rogério Marinho afirmou, em nota (íntegra abaixo), que vai trabalhar para aprovar uma reforma ainda no primeiro semestre de 2019. O congressista terá nesta quarta (11) à tarde, em Brasília, a primeira reunião com o gabinete de Guedes. Na nota, Marinho afirma que irá “aprofundar o trabalho já feito por uma competente equipe de técnicos que estão debruçados sobre o tema”, e afirma que quer “trabalhar contra os privilégios”.

> Bancada do PSL quer participar de proposta da Reforma da Previdência

O tucano, que está encerrando seu segundo mandato na Câmara, fez carreira política no Rio Grande do Norte. Foi secretário de Planejamento da prefeitura de Natal, vereador e presidente da Câmara do município e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

O tucano, que é economista e professor, relatou a reforma trabalhista na Câmara no ano passado.

Também foi anunciado nesta terça o Secretário Adjunto de Previdência. Será Leandro Rolim, um consultor de orçamento da Câmara dos Deputados.

Segundo a assessoria de Paulo Guedes, Rolim tem mestrado na Universidade de Alcalá, na Espanha, especialização em Administração na Universidade de Brasília (UnB) e em Políticas Públicas e Gestão Governamental (ENAP).

Também foi secretário de Políticas de Previdência Social do Ministério da Previdência Social (extinto em 2015) e presidente do Conselho Nacional dos Dirigentes de Regimes Próprios de Previdência Social (Conaprev).

Leia a nota de Rogério Marinho:

Aceitei convite feito pelo Ministro Paulo Guedes para participar do Governo Bolsonaro e ajudar no desafio da Previdência Social.

Vamos agora aprofundar o trabalho já feito por uma competente equipe de técnicos que estão debruçados sobre o tema há algum tempo.

Chegamos para trabalhar em equipe e aprovar uma reforma ainda no primeiro semestre de 2019, capaz de contribuir para o equilíbrio fiscal do país, um projeto que permita ao Brasil voltar a crescer e se desenvolver, conforme as propostas de campanha do presidente Jair Bolsonaro.

Vamos trabalhar sempre a favor do povo brasileiro e contra os privilégios.

 

Maia promete prioridade para reforma da Previdência, mas tema ainda divide grupo de Bolsonaro

equipe de transiçãogabinete de transiçãogoverno Bolsonarogoverno de transiçãoJair Bolsonaroministério da economiaPaulo Guedesprevidênciareforma da previdênciareforma trabalhistaRogério Marinho