Funcionários do BB pedem a Bolsonaro que privatizações tenham aval do Congresso

A Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (Anabb) escreveu uma carta endereçada ao presidente Jair Bolsonaro solicitando que não seja feito nenhum tipo de privatização do banco, ou de partes dele, sem a decisão passar pela análise do Congresso Nacional.

Para acelerar a política atual de desestatização, a equipe econômica do governo tem recorrido a uma estratégia de vender partes das empresas. Além do Banco do Brasil, isso também é observado na venda de subsidiárias da Petrobras.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

> Para privatizar, Guedes terá de convencer o Congresso, diz líder do governo

“Vender partes da empresa, além de um artifício para não submeter a decisão ao Poder Legislativo, é diminuir, paulatinamente, o Banco do Brasil. Os prejuízos serão irreversíveis”, diz a carta dirigida ao presidente da República.

No texto, há menção ao BB DTVM. Eles consideram um ativo estratégico e pedem que não seja vendida. O BB DTVM realiza a gestão de recursos de terceiros e administra fundos de investimentos de clientes da empresa.

> Congresso vai ao STF para impedir governo de vender refinarias da Petrobras

> Maia deve desistir de ação contra privatização de refinarias da Petrobras

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!