Em dia tenso, dólar comercial fecha em R$ 4,72 e bolsa tem queda de 12%

Mesmo após tentativas do Banco Central (BC) de controlar a alta do dólar, a moeda fechou o dia valendo R$ 4,72, com alta de 1,97%, sendo esse o maior valor nominal desde a criação do real. A bolsa de valores caiu 12,17% e o circuit breaker foi acionado. Recorre-se ao mecanismo de interrupção dos negócios quando o índice cai mais que 10%.

> Crise global pressiona governo a dialogar com o Congresso por reformas

O índice Ibovespa fechou o dia com 86,067 pontos, retornando aos níveis de dezembro de 2018. Desde 1998, quando a Rússia declarou moratória, não acontecia uma queda deste tamanho.

O BC interveio no mercado duas vezes durante esta segunda (9). Pela manhã, a autoridade monetária vendeu à vista US$ 3 bilhões das reservas internacionais. À tarde, vendeu mais US$ 465 milhões, embora tenha oferecido até US$ 1 bilhão.

Pela manhã, na tentativa de frear a queda, a B3 (bolsa de valores do Brasil) chegou a ter as negociações interrompidas por 30 minutos porque o Ibovespa tinha caído mais de 10%. Desde maio de 2017 a bolsa não tinha as negociações interrompidas. Na ocasião, havia sido divulgada a conversa do então presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Hoje pela manhã, o ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a dizer que a crise internacional deve afetar menos o Brasil que outros países porque a economia brasileira é mais fechada que a do resto do mundo. O ministro repetiu que a melhor resposta para a crise é a continuidade da agenda de reformas e reiterou que a reforma administrativa pode ser enviada ao Congresso ainda esta semana.

*Com informações da Agência Brasil

> Semana começa sob forte tensão entre Bolsonaro e Congresso. Veja a agenda

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!