Desmatamento na Amazônia ameaça acordo entre Mercosul e UE, diz embaixador

O embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Wischel, afirmou que as discussões sobre meio ambiente e preservação da Amazônia são fundamentais para tratados econômicos internacionais, como o acordo entre o Mercosul e a União Europeia.

Segundo Wischel, ao menos que o Brasil reduza o desmatamento da floresta Amazônica para os níveis de 2017, o acordo comercial Mercosul-União Européia não será ratificado pelos países europeus. Esta é uma situação apontada por ele como "tragédia". O embaixador está envolvido com as negociações sobre o Fundo da Amazônia diretamente com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

>Centrão quer derrubar análise de vetos para garantir acordo com governo

A análise foi feita em uma mesa redonda, nesta terça-feira (3), no Rio de Janeiro, sobre economia e meio ambiente no Centro de Relações Internacionais (CEBRI), evento que discute o cenário internacional e papel do Brasil.

"A falha do Fundo Amazônia será como um torpedo em um navio do acordo entre Mercosul e a União Européia, um navio que já é lento e que já está afundando" disse Wischel.

As negociações entre o Mercosul e a União Européia aconteceram ao longo de 20 anos. O tratado comercial foi concluído em junho de 2019 e visa reorganizar tarifas para baratear a importação de produtos industriais e agropecuários para países integrantes de ambos blocos econômicos. Segundo dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Detecção em Tempo Real (Deter) o desmatamento da Amazônia atingiu um número recorde, houve um aumento de 103,7% na taxa.

>Economia brasileira cresceu menos em 2019 que nos dois anos anteriores

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!