Comissão da reforma tributária começa com impasse sobre Guedes

O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), relator da comissão mista da reforma tributária, apresentou uma proposta de cronograma em que prevê a votação do texto final da reforma para o dia 5 de maio. Existem divergências entre congressistas sobre audiências públicas, que serão decididas no voto. Entre os requerimentos para as audiências está um convite para o ministro da Economia, Paulo Guedes, ser ouvido pela comissão já na próxima semana.

>Ao vivo: Congresso retoma análise dos vetos presidenciais sobre o orçamento

As informações deste texto foram publicadas antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

Para o senador Tasso Jerissati (PSDB-CE), não há motivos para se ouvir o governo, pois não foi apresentada uma proposta do Executivo até o momento. "Hoje ela [proposta de reforma tributária] não existe. Só justifica a presença dele [Paulo Guedes] se conhecermos o que o governo propõe", disse o senador nesta quarta-feira (4) na reunião. Segundo ele, não faz sentido convidar o ministro apenas para ele dizer  "que vai enviar a proposta na semana que vem".

O envio dos pontos que o governo defende na reforma já foi adiado sucessivas vezes desde o ano passado.

A insatisfação dos senadores tucanos quanto aos convites para as audiências públicas também foi expressada na fala do senador paulista José Serra (PSDB). Para ele, trazer a advogada tributarista portuguesa Rita De La Feria, que não conhece o sistema tributário brasileiro, é incoerente. “Não dá para trazer uma pessoa que não conhece o sistema tributário do Brasil e que no máximo vai ler na véspera três páginas sobre o assunto”, afirmou Serra.

Professora da Universidade de Leeds, na Inglaterra, Rita será a primeira pessoa a ser ouvida pela comissão, no próximo dia 10. Esse foi o único requerimento aprovado pela comissão. A sugestão de audiência com Guedes deverá ser votada no mesmo dia. Aguinaldo quer ouvi-lo já no dia seguinte (11).

Nesta quarta-feira (4), foi realizada a primeira reunião da comissão mista da reforma tributária, com 25 deputados e 25 senadores. A reforma tributária está entre uma série de reformas que têm sido discutidas desde o início da nova legislatura.

Veja o cronograma proposto pelo relator da reforma tributária:
- 10/3 - Rita de La Feria, professora da Universidade de Leeds, especialista em IVA.
- 11/3 - Paulo Guedes, ministro da Economia
- 17/3 - Rafael Fonteles, presidente do Consefaz
- 18/3 - Representantes da Frente Nacional de Prefeitos e da Confederação Nacional dos Municípios
- 24/3 - Representantes do setor privado
- 25/3 - Discussão sobre economia digital
- 28/4 - Apresentação do relatório
- 5/5 - Votação do relatório
- 6/5 - Encerramento da comissão

No ano passado, foi aprovada a polêmica reforma da Previdência. Agora, está em discussão a reforma tributária, que visa simplificar o sistema de tributário brasileiro considerado excessivamente burocrático pelos defensores da reforma.

Outra reforma na mira dos debates é a reforma administrativa, para reformular o serviço público nacional e acabar com a estabilidade do  futuros servidores públicos, este é outro tema que ainda aguarda proposta do governo.

Veja lista de parlamentares que fazem parte da comissão especial da reforma tributária

>Maia diz que acordo sobre orçamento permanece: R$ 15 bi para cada poder

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!