CNI pede que governo adie recolhimento de impostos por 3 meses

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) encaminhou ao governo 37 propostas para que as empresas resistam ao período de redução da atividade econômica do país, em virtude da crise sanitária decorrente da disseminação do novo coronavírus (covid-19).

Governadores enviam carta ao governo para pedir medidas emergenciais

As propostas sugerem mudanças nas áreas de tributação, política monetária, financiamento, normas regulatórias e legislação trabalhista. Entre as sugestões apresentadas está o adiamento, por 3 meses, do pagamento de todos os tributos federais, a prorrogação automática de licenças ambientais, trabalhistas e sanitárias e a redução das exigências para a realização do teletrabalho.

“As dificuldades para produzir, geradas pela falta de insumos e pela falta de liquidez, com a queda nas vendas, poderão levar diversas empresas eficientes à falência – o que, certamente, aumentará as consequências sociais negativas da crise”, diz o texto. A entidade defende que os recursos públicos sejam direcionados ao sistema de saúde e às empresas, a fim de assegurar a preservação dos empregos.

Leia aqui a íntegra do documento.

As propostas apresentadas foram elaboradas pela CNI, em
conjunto com as Federações Estaduais da Indústria e com o Fórum Nacional da Indústria (FNI), que representa associações setoriais dos diversos segmentos da indústria nacional.

Covid-19: Governo publica MP de ajuda a empresas aéreas afetadas por crise


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!