CCJ da Câmara conclui em duas semanas PEC que ajuda governo com orçamento

O relatório da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que muda a regra de ouro deve ser votado daqui a duas semanas na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados. Na terça-feira (10), o relatório do deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) será lido na comissão.

De acordo com o presidente CCJ, Felipe Francischini, as duas sessões seguintes serão para votar os requerimentos de retirada de pauta e a votação na comissão está prevista para a semana legislativa que começa no dia 17 de setembro.

O calendário do presidente da CCJ contraria a celeridade desejada pelo relator Sóstenes, que pretendia ler o parecer na sessão desta quinta-feira (5) e votar o texto na próxima semana.

O demista concluiu seu relatório (íntegra) nesta quarta-feira (4). Sóstenes manteve o texto original e não apresentou emendas.

Pela legislação atual, o governo fica proibido de recorrer a estatais, como bancos públicos, para aliviar as despesas. O presidente que usar do recurso pode até ser passível de sofrer impeachment.

PEC, de autoria do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), mantém a proibição, mas retira a possibilidade de impeachment pelo não cumprimento da regra fiscal. O texto será relatado pelo deputado Felipe Rigoni (PSB-ES) se for aprovado na CCJ e for instalada uma comissão especial.

O governo do presidente Jair Bolsonaro enfrenta dificuldades para organizar um orçamento superavitário. Para auxiliar nas contas públicas foram feitos cortes em verbas destinadas a áreas como educação, cultura e militares.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!