Bolsonaro não vai vetar acordo entre Embraer e Boeing

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se reuniu, na tarde desta quinta-feira (10), com ministros no Palácio do Planalto e decidiu que não vai vetar o acordo entre a Embraer e a Boeing. A decisão foi anunciada pelo Twitter de Bolsonaro e em nota pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom).

Bolsonaro se reuniu com os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Paulo Guedes (Economia). Para o governo, “ficou claro que a soberania e os interesses da Nação estão preservados”.

No início da semana, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, afirmou que o governo não tinha intenção de interromper a negociação para criar uma nova empresa de aviação.

O acordo entre as empresas prevê que a companhia americana terá 80% da joint venture e entrará com mais de US$ 4 bilhões para o negócio.

A decisão do Planalto era aguardada, após Bolsonaro ter criticado os termos da golden share no fim da semana passada, sinalizando um possível recuo. “Seria muito bom essa fusão, mas nós não podemos, como está na última proposta, daqui a cinco anos, todo poder ser repassado para o outro lado. A preocupação nossa é essa. É um patrimônio nosso”, afirmou Bolsonaro na sexta (4).

Fusão da Embraer com a Boeing não será interrompida, afirma Augusto Heleno

Na segunda, Heleno disse que o governo avaliava se o modelo atual é o melhor e que há preocupações com perdas do ponto de vista tecnológico. "Dentro desse patrimônio aeronáutico, existe uma preocupação muito grande com o patrimônio tecnológico, que foi conseguido a duras penas ao longo de muitos anos e que nós não pretendemos perder", afirmou. Ele foi enfático quanto à continuidade da fusão: “Não está se pensando em interromper essa negociação, não”.

Leia a nota da Secretaria de Comunicação da Presidência:

Em reunião realizada hoje com o Exmo. Sr. Presidente Jair Bolsonaro, com os Ministros da Defesa, do GSI, das Relações Exteriores, da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações; e representantes do Ministério da Economia e dos Comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica foram apresentados os termos das tratativas entre EMBRAER (privatizada desde 1994) e BOEING.

O Presidente foi informado de que foram avaliados minuciosamente os diversos cenários, e que a proposta final preserva a soberania e os interesses nacionais.

Diante disso, não será exercido o poder de veto (Golden Share) ao negócio.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!