Bolsa recebe bem indicação de Campos Neto para o BC e sobe quase 3%

No dia seguinte à indicação do economista Roberto Campos Neto para presidir o Banco Central (BC) a partir do ano que vem, o Ibovespa, indicador do desempenhos das ações na bolsa de valores brasileira subiu 2,96% e atingiu 88.515 pouco depois da 18h (horário de Brasília). O dólar fechou em baixa, cotado a R$ 3,73 na tarde desta sexta-feira (16).

Investidores entendem que Campos Neto não fará mudanças significativas na política monetária do atual presidente do BC, Ilan Goldfajn. A manutenção de Mansueto Almeida à frente da Secretaria do Tesouro Nacional também foi bem recebida. Especialistas apontam que ainda é cedo para avaliar qual será a postura do indicado da equipe econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Equipe de Bolsonaro confirma indicação de diretor do Santander na presidência do BC

Além da reação a Campos Neto - que ainda precisa ser sabatinado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado e confirmado pelo plenário da Casa -, a bolsa de valores também foi influenciada positivamente pelo Índice de Atividade Econômica (ICB-Br) anunciado pelo BC. O índice demonstrou crescimento de 1,74% da economia brasileira no terceiro trimestre deste ano.

Roberto Campos Neto

Confirmado como indicação da equipe econômica coordenada pelo futuro ministro Paulo Guedes, Roberto Campos Neto é diretor do banco Santander, onde trabalha há quase 20 anos. O economista é neto do economista Roberto Campos, que foi ministro do Planejamento entre 1964 e 1967, durante a ditadura militar, e presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social no governo de Juscelino Kubistchek. Seu avô foi um dos idealizadores do BC.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!