Banco Central mudará apuração do dólar em 2021

O Banco Central vai alterar a metodologia para apurar a taxa de câmbio real/dólar dos Estados Unidos a partir do dia 1º de janeiro do ano que vem. A partir de agora, Banco Central fará a atualização de boletins de abertura e intermediários do dia pela plataforma PTax, com base nas médias das cotações de compra e das cotações de venda efetivamente fornecidas por negociadores cadastrados.

A nova metodologia foi aprovada pela diretoria do Banco Central, vinculada ao Ministério da Economia, nesta terça-feira (24) e publicada hoje (25) no Diário Oficial da União.

Leia a íntegra da resolução:

Na resolução vigente até hoje, que data de 2011, cabe ao Banco Central a divulgação apenas após a última consulta do dia. Na nova resolução, tomada pela diretoria do banco, permanecem a maioria das metodologias para apuração do dólar, como a consulta a negociadores (dealers) cadastrados em quatro momentos do dia, em horários aleatórios. Não há, no texto ainda vigente, a obrigatoriedade de divulgação das cotações na plataforma PTax.

Entre as 10h e às 13h10, de hora em hora, o Banco Central questiona aos negociadores o valor da taxa, que respondem com "uma cotação de compra e uma cotação de venda para a taxa de câmbio no mercado interbancário à vista, com liquidação em D+2 [dois dias para o resgate da aplicação], que melhor representem as condições de mercado no preciso instante do início da consulta".

Esta pesquisa dura dois minutos e, com a média aritmética dos valores informados (excluindo-se os dois valores maiores e os dois valores menores), o Banco Central define os valores do dólar – que também passa a influenciar a cotação de outras moedas no Brasil.


> Governo terá que dar explicações sobre diretor do BC que vive nos EUA
> Prévia da inflação para novembro é a maior em cinco anos, indica IBGE

Continuar lendo