Alvo de investigação, indicado do Centrão deixa cargo um dia após tomar posse

O administrador de empresas Alexandre Cabral foi destituído da presidência do Banco do Nordeste na tarde desta quarta-feira (3). A decisão foi tomada após reunião do Conselho de Administração do banco, confirmou um deputado do Centrão ao Congresso em Foco. 

Posteriormente a informação foi confirmada pelo Banco do Nordeste em nota à imprensa. Veja  a íntegra no final do texto.

Ele havia sido escolhido para o posto na segunda-feira (1) por indicação da bancada do PL no Ceará, estado onde o banco estatal é sediado. A cerimônia de posse foi na terça-feira (2). O comando da instituição financeira será exercido de forma interina por Antônio Guimarães, um dos diretores do banco.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

A influência do partido no cargo acontece em meio a um processo de aproximação dos partidos do Centrão, bloco informal de centro e direita, com o presidente Jair Bolsonaro. Além do PL, já foram contemplados com cargos o PP, Republicanos, PSD, PSC e Avante.

A decisão de tirar o recém-nomeado presidente do cargo acontece porque ele é alvo de um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que apura irregularidades na Casa da Moeda. Em 2018, sob o comando de Cabral, a empresa estatal teria causado prejuízo de até R$ 2,2 bilhões por licitações suspeitas.

O relatório aponta que há evidências de fraude às licitações para a contratação dos sistemas de rastreamento e controle de produção: Scorpios (cigarros) e Sicobe (bebidas). Em dezembro de 2019, o ministro do TCU Aroldo Cedraz determinou o bloqueio de R$ 2,2 bilhões das empresas.

Leia a nota divulgada pelo Banco

Banco do Nordeste do Brasil S.A. comunica que o Conselho de Administração, em sua 682ª Reunião, ocorrida nesta data, às 14h, deliberou conforme segue:

· Destituição do Sr. Alexandre Borges Cabral do cargo de Presidente do Banco do Nordeste do Brasil S.A;

· Nomear para exercício interino da presidência do Banco do Nordeste do Brasil S.A. o Sr. Antônio Jorge Pontes Guimarães Júnior atualmente Diretor Financeiro e de Crédito, cargo o qual ele ficará acumulando até que seja eleito novo presidente definitivo;

· Antônio Jorge Pontes Guimarães Júnior é bacharel em Ciências da Computação, possui especialização em Negócios Internacionais, além de pós-graduações em Gestão de Negócios, Gestão Empresarial, Administração Financeira e em Auditoria e Controladoria. Dentre as funções desempenhadas na instituição se destacam a de Diretor Financeiro e de Crédito, superintendente nas áreas de Tecnologia da Informação, de Operações Financeiras e de Mercado de Capitais, e regional da Bahia.

· A Diretoria Executiva do Banco do Nordeste passou a ter a seguinte composição: ANTÔNIO JORGE PONTES GUIMARÃES JÚNIOR, como Presidente e Diretor Financeiro e de Crédito, CORNÉLIO FARIAS PIMENTEL, HAROLDO MAIA JÚNIOR, PERPÉTUO SOCORRO CAJAZEIRAS, SANDRA DOS SANTOS SOUZA LISBÔA e WANGER ANTONIO DE ALENCAR ROCHA.

· O Banco do Nordeste do Brasil S.A., conforme consignado em ata da presente reunião, a ser divulgada dentro do prazo legal estabelecido, informa que seu Conselho de Administração tem pautado suas deliberações de forma diligente, rigorosamente em conformidade as boas práticas de governança corporativa e em estrita observância da legislação vigente.

· O Banco informa ainda que sobre as notícias recentemente veiculadas tomou conhecimento sobre seu conteúdo somente por meio da mídia. Assim sendo, reitera seu compromisso de transparência e tempestividade de comunicação dos fatos aos seus acionistas.

>Bolsonaro dá a Centrão mais um cargo no Ministério de Desenvolvimento Regional

>Centrão minimiza vídeo, mas admite dificuldades se STF avançar em inquérito

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!