PF intima colunista com base em lei criada na ditadura militar

A Polícia Federal intimou o colunista da Folha de S. Paulo, Hélio Schwartsman, para depor no inquérito aberto pelo ministro da Justiça, André Mendonça, que pretende investigar o artigo de opinião publicado em julho no jornal, com o título "Por que torço para que Bolsonaro morra". As informações são da Folha de S. Paulo.

O inquérito aberto à pedido de Mendonça, se baseia na Lei de Segurança Nacional, que foi criada durante a ditadura militar. Durante os anos de tomada de poder pelos militares no país, jornalistas e artistas foram perseguidos, mortos ou exilados por emitirem suas opiniões.

Neste caso, a PF, seguindo ordens do Ministério da Justiça e Segurança Pública, resolveu intimar o colunista, por ter afirmado em artigo que se Bolsonaro morresse, seriam evitadas diversas outras mortes durante a pandemia, baseando-se no que considera má gestão presidencial diante da pandemia.

Ao anunciar a abertura do inquérito, o ministro Mendonça disse que a liberdade de imprensa e de expressão são "limitados por lei".

Ainda sob o comando de Mendonça, o ministério criou um relatório com informações sobre opositores do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Trata-se do dossiê revelado pelo UOL no fim de julho com informações sobre 579 servidores federais e estaduais de segurança identificados  como integrantes do “movimento antifascismo” e três professores universitários, todos críticos do governo.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!