Manuela vê “machismo de esquerda” em chamar Guedes de “tchutchuca”: “Piada ridícula”

Candidata a vice-presidente na chapa encabeçada em 2018 por Fernando Haddad (PT), a ex-deputada Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) reprovou a provocação feita pelo deputado Zeca Dirceu (PT-PR) ao ministro da Economia, Paulo Guedes, durante audiência para debater a reforma da Previdência na Câmara na última quarta-feira (3). Para Manuela, a piada não tem graça, associa as mulheres à fragilidade e revela um "machismo de esquerda".  O comentário dela, feito no Instagram, provocou polêmica entre seus seguidores. Veja o post:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Gostaria de registrar que piadas vinculando o Ministro Paulo Guedes com meninas, mulheres e tchuchucas não tem graça nenhuma porque nós mulheres não somos mais fracas nem somos as responsáveis por essa desgraça de governo. Alias, nós Lutamos bravamente para que ele não fosse sequer eleito porque sabemos que as medidas adotadas nos prejudicam em primeiríssimo lugar. Prova disso é a reforma da previdência, as medidas pra acabar com a educação e saúde. Alô, esquerda e democratas do meu Brasil varonil. Guedes não é “mulherzinha”. Ele é um liberal defensor de Pinochet e Ponto. Talquei? Essa postagem teve o patrocínio de “vamos lutar juntxs contra a reforma da previdência porém aprendendo no caminho a não ser um machista de esquerda”

Uma publicação compartilhada por Manuela d'Ávila (@manueladavila) em

Frente a frente com o ministro na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Zeca disse que Guedes era “tigrão” com os aposentados, idosos de baixa renda e agricultores, mas “tchutchuca” com os privilegiados do Brasil. "Tchutchuca é a mãe, é a avó", reagiu o ministro da Economia. O bate-boca continuou e o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), encerrou a audiência.

O comentário de Manuela provocou uma clara divisão entre seus seguidores. Nem todos concordaram com o ponto de vista da deputada, conhecida por abraçar a causa feminista. Houve quem a parabenizasse, mas também quem considerasse que o petista não tenha se referido ao ministro como "menina".

"Sou de esquerda, tenho o máximo respeito pela pauta identitária, inclusive apoio com unhas e dentes, mas não penso que se referir a Guedes como tchutchuca seja motivo para atingir as mulheres. O sentido empregado na frase formada pelo Deputado Zeca Dirceu se refere a fraqueza e subserviência de Guedes quando o assunto é combater a classe privilegiada. Levar o termo colocado pelo Deputado Zeca para outra seara é totalmente desnecessário, inaplicável e foge do debate principal", escreveu uma seguidora.

Outra fez coro à crítica de Manuela:

"Sobre o episódio ridículo de 'tigrão e tchutchuca' na política brasileira:
O debate público só vai evoluir para uma coisa séria quando as mulheres forem qualitativa e quantitativamente representadas no cenário político nacional.  O patriarcado é violento, é desrespeitoso, é irresponsável e é chulo. E ele existe do lado direito e do lado esquerdo. A política nacional é dominada, há séculos, por púberes tardios. Lamentável. E vergonhoso."

Veja a discussão entre Zeca Dirceu e Paulo Guedes:

>> Ação quer que TV Cultura se desculpe por “machismo” contra Manuela D’Ávila

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!