Grupo feminista goiano promove ato em solidariedade a vítima de estupro

O bloco feminista goiano Não É Não promove um ato de solidariedade à Mari Ferrer neste domingo (13), a partir das 16 horas, na Praça Cívica. A influenciadora digital foi vítima de estupro em dezembro de 2018, em um bar de Florianópolis.

Na semana passada, o agressor André Camargo Aranha foi absolvido. O Ministério Público de Santa Catarina desconsiderou a própria denúncia apresentada em julho de 2019, que apontava o empresário como autor de estupro de vulnerável.

No ato deste sábado será feita a gravação em vídeo da performance “um estuprador em seu caminho”, do grupo chileno Las Tesis, adaptada pelo Bloco Não É Não. A manifestação foi provocada pela mãe de Mari Ferrer, que pediu que as mulheres gritassem nas ruas por sua filha.

O bloco convida coletivos feministas e em defesa dos direitos humanos para participarem da iniciativa. Devido à pandemia de covid-19, o ato acontecerá em espaço aberto com demarcação prévia de dois metros de distância entre cada participante. O uso de máscaras é obrigatório e todos e todas devem levar álcool gel para a constante higienização das mãos.

Pessoas com sintomas gripais ou que mantém contato com pessoas do grupo de rico são convidadas a se manifestar em casa, por meio de suas redes sociais.

> Deputados defendem que retorno às aulas deve ser avaliado “caso a caso”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!