Deputado do PSL quebra placa contra genocídio negro na Câmara; veja o vídeo

A exposição Resistir no Brasil, que exalta a existência e resistência negra no país, sofreu, na tarde desta terça-feira (19), um ato de depredação por parte de um parlamentar do PSL. O deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) quebrou uma arte que visava levar a conscientização contra o genocídio das pessoas negras.

> Maia e Tabata apresentam pacote de combate à pobreza na Câmara

Na imagem, um homem negro com a camisa do Brasil aparece algemado e morto no chão, enquanto um policial se afasta do local. A ilustração vem acompanhada de um texto com o título: “O genocídio da população negra”.

A exposição que estreou nesta terça de manhã e estava tendo sua cerimônia de abertura, foi interrompida pelo ato. Veja o exato momento em que o Coronel Tadeu quebrou a placa.

Em carta enviada para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Coronel Tadeu pediu nesta terça pela retirada da placa: “Conforme se verifica do conteúdo da imagem, há a absurda atribuição da responsabilidade pelo genocídio da população negra aos policiais militares, prestando-se, assim, verdadeiro desserviço junto à população que trafega pelas dependências da Câmara, retratando negativamente o salutar papel dos policiais militares para a manutenção da ordem pública no nosso país”, diz o documento.

Antes da confusão, o Congresso em Foco havia entrevistado o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que ficou conhecido por quebrar a placa em homenagem vereadora Marielle Franco. Para Daniel, a imagem é uma afronta para a polícia e não representa a realidade.

Veja o vídeo:

Deputados do PSL que estavam na cerimônia de abertura da exposição se chocaram com a cena e foram pra cima do Coronel para cobrar esclarecimentos.

Logo após a confusão, os parlamentares do Psol se dirigiram para a polícia legislativa prestar queixa contra o deputado. Segundo os parlamentares a queixa foi registrada como depredação do patrimônio público e racismo. A polícia legislativa, por sua vez, não pode atuar contra deputados na Casa.

O próximo passo dos parlamentares foi se reunir para criar o documento para representar contra o deputado no Conselho de Ética da Câmara. Um boletim de ocorrência na polícia federal não foi descartado.

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

Veja o vídeo exclusivo do momento em que os deputados do Psol prestam queixa:

Coronel TadeuDaniel SilveiraGenocídio Negromarielle francoPSLracismo