Comissão da Verdade criará grupo para investigar Operação Condor

O jornalista Luiz Cláudio Cunha foi convidado para participar de grupo que investigará ação conjunta das ditaduras sul-americanas nas atividades de repressão

Durante os anos de chumbo, as ditaduras militares da América do Sul firmaram um acordo pelo qual cada uma delas cooperava nas ações de repressão das demais. O acordo ficou conhecido como Operação Condor, e a sua faceta foi desvendada em 1978, por reportagem do jornalista Luiz Cláudio Cunha, que narrou os sequestros, no Brasil, dos militantes de esquerda uruguaios Lilian Celiberti e Universindo Dias. Na época, Luiz Cláudio ganhou o Prêmio Esso pela reportagem. Mais recentemente, ele retornou ao tema no livro Operação Condor: o sequestro dos uruguaios – uma reportagem dos tempos da ditadura. A obra de Luiz Cláudio já recebeu os prêmios Jabuti, Vladimir Herzog e Casa de Las Americas.

Em reunião no último dia 17 de setembro, a Comissão da Verdade – criada para desvendar os aspectos ainda sombrios e as lacunas na história do regime militar – resolveu criar um grupo de trabalho voltado para a Operação Condor, e Luiz Cláudio, como especialista no tema e testemunha ocular do episódio do sequestro dos uruguaios, será um dos integrantes.

Luiz Cláudio será consultor da Comissão Nacional da Verdade. Atualmente, o jornalista é assessor do senador Pedro Simon (PMDB-RS).

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!