Cidadania afasta deputado acusado de assediar colega na Alesp

A presidência nacional do Cidadania decidiu nesta sexta-feira (18) afastar o deputado estadual Fernando Cury de todas as funções diretivas partidárias, em todas as instâncias, bem como de todas as funções exercidas em nome da legenda, inclusive junto à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Vídeo do plenário da Alesp na sessão de quarta-feira (16) mostra o deputado estadual Fernando Cury abraçando por trás e passando a mão no seio da deputada estadual Isa Penna (Psol). A parlamentar entrou com uma representação contra o deputado na Alesp e também registrou um boletim de ocorrência. No documento enviado à Assembleia, Isa Penna afirma que a conduta "inadequada e repugnante do parlamentar é tipificada pela legislação brasileira e trata-se de importunação sexual, que atenta contra a liberdade e dignidade sexual da pessoa."

O afastamento vai durar até a conclusão do processo no Conselho de Ética do Cidadania. O presidente do partido, Roberto Freire, diz ter levado em consideração a gravidade do caso e a celeridade do colegiado. A primeira reunião deve ocorrer já na noite de hoje.

Roberto Freire e o presidente do Cidadania-SP, deputado Arnaldo Jardim, entraram com uma representação contra o parlamentar no Conselho pedindo urgência na análise do caso e a indicação das medidas disciplinares cabíveis para deliberação do diretório nacional.

Resolução

Convocação

“Acrescentamos a evidente urgência na apuração dos fatos, sem prejuízo do contraditório e da ampla defesa, considerando que a acusação refere-se a uma conduta absolutamente incompatível com os princípios defendidos pelo partido”, argumentam.

Pelo regimento interno, uma vez recebida a denúncia, Fernando Cury terá prazo de oito dias para apresentar a defesa. Entre as sanções possíveis, está a expulsão do partido.

Por meio de nota, Fernando Cury disse que "em nenhum momento houve o sentido de desrespeitar a colega deputada Isa Penna durante esse gesto". Diz ainda recriminar "todo tipo de abuso e violência contra a mulher" e reforço seu "respeito e luta para nessa questão de grande relevância e destaque para nossa sociedade".

Sobre o afastamento, Fernando Cury afirma não ter sido informado oficialmente pelo partido. "Também ressalto que não houve qualquer notificação de procedimento interno do Conselho de Ética, e por isso, tão logo seja formalmente comunicado, irei apresentar a versão dos fatos, exercendo assim meu direito de defesa".

Moção

Na noite desta sexta-feira (18), o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, de forma unânime, moção de solidariedade à deputada Isa Penna. A proposta partiu da deputada Erika Kokay (PT-DF) e de Enio Verri (PT-PR).

Já o deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR) classificou como "deplorável" o ato de Fernando Cury. "Nosso partido já tomou providência, afastando-o de todos os seus cargos partidários", declarou.

O líder do Novo, deputado Paulo Ganime (RJ), também se solidarizou ao caso ocorrido na Alesp, mas cobrou a instalação do Conselho de Ética da Câmara para julgar processos contra os deputados Flordelis (PSD-RJ) e Wilson Santiago (PTB-PB). "São casos gravíssimos e vergonhosos para esta Casa. A gente perde credibilidade de fazer moção em relação a outra casa legislativa quando a gente não faz o nosso trabalho", disse.

> Deputado Fernando Cury passa a mão no seio de deputada em sessão da Alesp

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!