A íntegra da lei sobre entidades terem pessoas capacitadas para reconhecer maus tratos

Presidenta Dilma Rousseff sancionou projeto aprovado pelo Senado que trata do tema. Lei inclui entre as atribuições dos conselhos tutelares ações de divulgação e treinamento para o reconhecimento de maus-tratos nas comunidades

A presidenta Dilma Rousseff sancionou nesta segunda-feira (1) uma lei que obriga entidades que receberem crianças, mesmo que em caráter temporário, a terem em seus quadros pessoas capacitadas a reconhecer e reportar casos de maus-tratos aos conselhos tutelares. Aprovado no Congresso, o texto modifica o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) também para incluir como obrigações dos conselhos ações de divulgação e tratamento para o reconhecimento de abusos.

A íntegra da lei:

LEI Nº 13.046, DE 1º DEZEMBRO DE 2014.

Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que “dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências”, para obrigar entidades a terem, em seus quadros, pessoal capacitado para reconhecer e reportar maus-tratos de crianças e adolescentes.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º A Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, passa a vigorar acrescida dos seguintes dispositivos:

“Art. 70-B.  As entidades, públicas e privadas, que atuem nas áreas a que se refere o art. 71, dentre outras, devem contar, em seus quadros, com pessoas capacitadas a reconhecer e comunicar ao Conselho Tutelar suspeitas ou casos de maus-tratos praticados contra crianças e adolescentes.

Parágrafo único.  São igualmente responsáveis pela comunicação de que trata este artigo, as pessoas encarregadas, por razão de cargo, função, ofício, ministério, profissão ou ocupação, do cuidado, assistência ou guarda de crianças e adolescentes, punível, na forma deste Estatuto, o injustificado retardamento ou omissão, culposos ou dolosos.”

“Art. 94-A.  As entidades, públicas ou privadas, que abriguem ou recepcionem crianças e adolescentes, ainda que em caráter temporário, devem ter, em seus quadros, profissionais capacitados a reconhecer e reportar ao Conselho Tutelar suspeitas ou ocorrências de maus-tratos.”

“Art. 136.  .....................................................................
.............................................................................................
XII - promover e incentivar, na comunidade e nos grupos profissionais, ações de divulgação e treinamento para o reconhecimento de sintomas de maus-tratos em crianças e adolescentes.” (NR)

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 1º de dezembro de 2014; 193º da Independência e 126º da República.

DILMA ROUSSEFF
José Eduardo Cardozo
Ideli Salvatti

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!