A gente não pode culpar a polícia, diz Eduardo sobre Paraisópolis

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) se pronunciou nesta segunda-feira (9) sobre a ação policial na favela de Paraisópolis (SP) na madrugada de 1º de novembro que deixou nove jovens mortos. Ele defendeu a atuação da Polícia Militar no caso e aconselhou que a população não frequente esses espaços, caso queira preservar a vida.

> Weintraub anuncia instalação de 54 escolas cívico-militares

“Lamentavelmente morreram nove pessoas, mas, de maneira nenhuma, a gente pode culpar a polícia militar por isso. Quem tá errado é bandido que dá tiro pra cima da polícia e a população que não coopera com as autoridades”, disse no Twitter.

Eduardo afirmou que há um consumo de drogas elevado nos “pancadões”, o que atrai bandidos, tornando o espaço perigoso. “A probabilidade da sua vida ficar em risco aumenta e muito”, comentou.

O deputado afirma que a polícia estava no local para “manter a ordem e ter a disciplina” e que quem não gosta dessa atuação é “marginal e muitas das vezes pessoas envolvidas com o tráfico de drogas”.


De acordo com ele, caso a população queira se divertir, ela deve ir a outros locais. “Pra você sobreviver não é essencial esse tipo de diversão, existem várias outras formas de você fazer isso. Você não precisa de droga para viver e nem é tirar onda você andar com vagabundo armado”, afirmou.

> Relator procura acordo com Norte e Nordeste para votar saneamento

> Não há como desonerar folha sem nova CPMF, diz economista de Ciro

Eduardo BolsonaroParaisópolisPMpolícia