STJ manda soltar ex-governador da Paraíba

O ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acolheu um recurso da defesa do ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) e determinou que o político paraibano seja posto em liberdade. A decisão é deste sábado (21).

> Doria usa PSB em disputa para líder do PSDB; sigla socialista critica

O ex-governador foi preso preventivamente quinta-feira (19) à noite ao voltar de viagem à Europa e desembarcar na capital do estado, Natal. A prisão aconteceu no âmbito da operação Calvário – Juízo Final, que investiga fraudes e pagamento de propina nas áreas da saúde e da educação na Paraíba .

Coutinho foi governador do estado de 2011 a 2018 e presidente a Fundação João Mangabeira, braço ideológico do PSB.

Além do ex-governador, a operação prendeu também a ex-secretária de saúde Claudia Veras, o advogado Francisco das Chagas Ferreira e o administrador David Clemente Correia. Os três foram postos em liberdade pela decisão do STJ.

Operação Calvário – Juízo Final

A ação da PF teve o objetivo de combater uma organização criminosa atuante em desvio de recursos públicos destinados aos serviços de saúde na Paraíba, por meio de fraudes em procedimentos licitatórios e em concurso público, corrupção e financiamento de campanhas de agentes políticos, bem como superfaturamento em equipamentos, serviços e medicamentos.

O atual mandatário do estado, João Azevedo, foi alvo de mandado de busca e apreensão na operação da Polícia Federal, mas sem pedido de prisão preventiva expedido. Assim como Coutinho, Azevedo foi eleito pelo PSB, mas anunciou sua desfiliação do partido no início de dezembro.

> STJ envia para Justiça estadual ação contra governador da Paraíba, Ricardo Coutinho

Claudia VerasDavid Clemente CorreiaFrancisco das Chagas FerreiraJoão Azevêdoricardo coutinhoSTJ