Polícia Federal faz busca e apreensão na sede do PSL em Minas Gerais

A Polícia Federal cumpriu sete mandados de busca e apreensão na manhã desta segunda-feira em endereços que seriam sede do PSL em Minas Gerais. A ação faz parte da Operação “Sufrágio Ostentação” deflagrada para investigar suspeita de desvio de recursos do Fundo Eleitoral que deveriam ter sido aplicados em campanhas de candidatas na última eleição.

Segundo nota da Polícia Federal, os mandados foram expedidos pela 26ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, dois deles foram cumpridos na capital, dois na cidade de Contagem, um em Coronel Fabriciano, um em Ipatinga e um outro em Lagoa Santa. Foram apreendidos também documentos relativos à produção de material gráfico de campanhas eleitorais. A PF não divulgou mais detalhes sobre o andamento da investigação e da operação de busca desta segunda. O PSL ainda não se posicionou sobre a operação.

O caso das candidaturas laranjas do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, começou a ser investigado em fevereiro e envolve o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que comandava o diretório do partido em Minas Gerais durante a campanha de 2018. A deputada Alê Silva, também do PSL, chegou a denunciar que estaria sofrendo ameaças por parte do ministro já que ela investigou por conta própria o suposto esquema de candidaturas laranjas.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio nega as ameaças a argumenta que a deputada faz campanha difamatória contra ele em busca de espaço na legenda. Na semana passada, em suas redes sociais, Alê confirmou que está sendo processada pelo ministro.

Deputada que acusa ministro de ameaçá-la relata ataques virtuais e isolamento dentro do PSL

Ministro do Turismo nega suspeitas de laranjas no PSL em audiência no Senado

PF aprofunda investigação sobre candidatas laranjas do PSL e vê participação do ministro do Turismo

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!