“No meu governo não precisa de Lava Jato”, diz Bolsonaro

“No meu governo não precisa de Lava Jato. E por que não precisa de Lava Jato? Porque nós escolhemos ministros, diretores de estatais e bancos não por apadrinhamento”, disse o presidente Jair Bolsonaro neste sábado (10), em vídeo postado com uma apoiadora nas redes sociais. Bolsonaro comentou a declaração feita por ele na quarta-feira (7), quando disse que “acabou” com a operação Lava Jato porque “não existe mais corrupção no governo”.

“É um orgulho, uma satisfação que eu tenho de dizer para essa imprensa maravilhosa nossa, que eu não quero acabar com a Lava Jato. Eu acabei com a Lava Jato, porque não tem mais corrupção no governo”, afirmou. “Eu sei que isso não é virtude, é obrigação. Para nós, fazemos um governo de peito aberto”, completou. Diferentes políticos e ex-integrantes da operação protestaram contra a fala de Bolsonaro.

Para os procuradores que integram a força-tarefa da Lava Jato, o discurso indica desconhecimento sobre a atualidade dos trabalhos e a necessidade de sua continuidade. “[O discurso] reforça a percepção sobre a ausência de efetivo comprometimento com o fortalecimento dos mecanismos de combate à corrupção”, escreveram os procuradores em nota.

Luiz Eduardo Ramos é o décimo ministro do governo a contrair covid-19

A apoiadora comentou: “E também se acontecer alguma coisa o senhor manda embora, né?”, ao que Bolsonaro respondeu: “Acontece. Na família da gente acontece”. Um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por “rachadinha”, prática ilegal que consiste no confisco de parte dos salários de servidores do gabinete. O MP-RJ investiga a irregularidade durante o mandato de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), no período de 2003 a 2018.

Bolsonaro está no Guarujá, no litoral paulista, onde vai passar o feriado de Nossa Senhora Aparecida. Ele está hospedado no Hotel de Trânsito da Fortaleza, sede da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea. Nesta manhã, Bolsonaro passeou de moto e parou para cumprimentar e tirar fotos com simpatizantes. O presidente, que já contraiu a covid-19, não usava máscara. A proteção facial é obrigatória em todo o estado de São Paulo como forma de evitar a propagação do novo coronavírus.

Bolsonaro não está comprometido com o combate à corrupção, diz Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!