Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

MPF apresenta denúncia contra Gim Argello por obstrução em CPI da Petrobras

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou hoje (quarta, 25) nova denúncia contra o ex-senador Gim Argello (PTB) pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O documento foi elaborado pela força-tarefa de procuradores que atuam nas investigações da Operação Lava Jato.

Segundo a denúncia, Argello atuou para obstruir os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada no Senado e da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) no Senado e na Câmara dos Deputados em 2014.

De acordo com a acusação, Argello recebeu cerca de R$ 1,6 milhão, por meio de doações oficiais de campanha da empreiteira Galvão Engenharia, para deixar de convocar empreiteiros para depor na antiga Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) da Petrobras, em 2014. Na época, ele era o vice-presidente da comissão.

Pelos mesmos fatos, mas pelo suposto recebimento de outras empreiteiras, o ex-senador foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, mas teve a pena reduzida no ano passado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre, que reduziu a pena de 19 anos para 11 anos e 8 meses de prisão.

Gim Argello está preso, desde abril de 2015, no Complexo Médico-Penal de Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

A defesa do ex-senador não se manifestou sobre o assunto.

Com informações da Agência Brasil

Continuar lendo