MP denuncia Flávio Bolsonaro e Queiroz por “rachadinhas”

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) confirmou na madrugada desta quarta-feira (4) que denunciou o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), seu ex-assessor Fabrício Queiroz e outras 15 pessoas pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, apropriação indébita e organização criminosa entre 2007 e 2018 no caso da “rachadinha” na Assembleia do Rio de Janeiro.

>Senado aprova voto de repúdio contra decisão sobre “estupro culposo”

A denúncia, apresentada pelo procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, foi ajuizada em 19 de outubro e redistribuída ao desembargador responsável pelo processo nessa terça (3).

Segundo o jornal O Globo, na denúncia de cerca de 300 páginas, o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro é apontado como o líder da organização criminosa e Queiroz, como o operador do esquema de corrupção no gabinete de Flávio.

As investigações começaram em julho de 2018, após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificar movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz. O senador é suspeito de se apropriar de parte do salário de seus assessores na Alerj.

Veja na íntegra a nota da defesa do senador:

NOTA DA DEFESA DO SENADOR FLÁVIO BOLSONARO
A denúncia já era esperada, mas não se sustenta. Dentre vícios processuais e erros de narrativa e matemáticos, a tese acusatória forjada contra o Senador Bolsonaro se mostra inviável, porque desprovida de qualquer indício de prova. Não passa de uma crônica macabra e mal engendrada. Acreditamos que sequer será recebida pelo Órgão Especial. Todos os defeitos de forma e de fundo da denúncia serão pontuados e rebatidos em documento próprio, a ser protocolizado tão logo a defesa seja notificada para tanto.

>Após obstrução, Maia quer votar desvinculação de fundos e socorro a estados

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!