Genoino e Delúbio condenados por falsidade

Em ação paralela à do mensalão, Justiça Federal de Minas Gerais considera que ex-presidente e ex-tesoureiro do PT cometeram falsidade ideológica como avalistas do empréstimo do banco BMG

A Justiça Federal de Minas Gerais condenou hoje (16) o ex-presidente e o ex-tesoureiro do PT José Genoino e Delúbio Soares por falsidade ideológica em uma ação paralela à do mensalão, que é julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os dois foram condenados a quatro anos de prisão. No julgamento do mensalão, Genoino foi condenado pelo STF por corrupção ativa.

Tudo sobre o mensalão

A ação refere-se aos empréstimos feitos pelo PT no Banco BMG, que irrigaram o valerioduto e proporcionaram o mensalão. Os empréstimos foram considerados fraudulentos. Genoino e Delúbio assinam os contratos como avalistas. O processo que trata do empréstimo do BMG foi remetido à Justiça de Minas Gerais após o fim do mandato de Genoino como deputado federal. Genoino não se reelegeu em 2010, e perdeu o foro privilegiado.

Além de Genoino e Delúbio, o publicitário Marcos Valério, operador do mensalão também foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão. Dirigentes do BMG foram condenados a penas que variam de cinco anos a seis meses. O presidente do banco, Ricardo Annes Guimarães, foi condenado a sete anos de prisão.

Clique aqui para mais informações

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!